Hermitage, um museu incrível em São Petersburgo

O Hermitage (Госуда́рственный Эрмита́ж) é um dos museus mais importantes do mundo, com mais de 2,5 milhões de visitantes por ano. Ele teve início em 1764, com a coleção particular de Catarina, a Grande, imperatriz da Rússia. Com o passar dos anos e a avidez da Imperatriz, em adquirir mais e mais obras de arte, a coleção cresceu e hoje ocupa todo o Palácio de Inverno, além de outros espaços. O Hermitage está localizado às margens do rio Neva, cercado de prédios e monumentos históricos importantes, em São Petersburgo, na Rússia.

O Museu Hermitage
O Museu Hermitage fica na Praça do Palácio, coração de São Petersburgo

A entrada

Dois grandes portões dão para a Praça do Palácio. Um deles era da Imperatriz, ia direto para os seus aposentos. O outro, do comandante. No dia 25 de outubro de 1917, soldados, marinheiros e operários forçaram o portão da imperatriz e invadiram o Palácio. Para marcar esse acontecimento, o portão recebeu o nome de Okitiábrski, que significa “de outubro”. Quando a cidade de São Petersburgo fez 300 anos, em maio de 2003, o Palácio de Inverno abriu esse portão e é por aí que grande parte dos visitantes entram.

Os lindos portões do Hermitage
Os lindos portões do Hermitage
O agradabilíssimo jardim do Hermitage
O jardim do Hermitage, onde as crianças brincam e fazem piqueniques
A escadaria principal do Hermitage
A escadaria principal do Hermitage, também chamada “escadaria dos embaixadores” ou “do Jordão”

O Hermitage e suas riquezas

O Hermitage, que significa “retiro”, possui uma vasta coleção de itens que dão uma ideia da história do país. São mais três de milhões de peças distribuídas em vários prédios, onde estão representados vários estilos e culturas – russa, europeia e oriental. Dizem que, se pararmos por um minuto em frente a cada peça exposta, vamos demorar 11 anos para ver tudo. Definitivamente, não dá para ver as 460 salas de uma vez, ainda que você se proponha a passar o dia inteiro, no museu. O melhor é fazer uma seleção do que quer ver.

UM dos lindos e grandes salões do Hermitage
Um dos lindos e grandes salões do Hermitage

Os salões do Hermitage

O Hermitage é famoso não apenas pelas peças importantes que guarda, mas pelo prédio magnífico, as salas e salões incríveis, decorados com certo exagero, é verdade, mas que deixam o visitante de queixo caído. Cá para nós, depois de ver o Hermitage, nenhum outro museu do mundo impressiona.

teto do Salão Malaqueta
O incrível teto do Salão Malaquita
maçaneta de uma das portas do Hermitage
A maçaneta de uma das portas do Hermitage
Sala de Pedro, o Grande
Sala criada em memória de Pedro, o Grande – primeiro imperador russo. Paredes forradas de veludo com os  brasões da Rússia e o monograma de Pedro.
Hall do Palácio de Inverno
Hall de entrada do Palácio de Inverno

Exposição 1917

Em 2017, ano que se comemorou o centenário da Revolução Russa, o museu organizou uma exposição sobre o tema: 1917 – com cartazes, bandeiras, artigos de jornais, quadros, objetos pessoais, esculturas e panfletos políticos, além de vídeos sobre a Revolução. Na entrada, antes da escadaria principal do Hermitage, onde tudo começou, um vigoroso operário recebe a todos, com o espírito da época.

Hermitage - Cem anos 917-Hmitage.jpg
A Exposição em comemoração aos 100 anos da Revolução: “A história se fez aqui”.

Pontos de vista à parte

Não importa se a gente é contra ou a favor da revolução que mudou a Rússia, definitivamente. Não importa se a gente é a favor do comunismo ou não. Se a gente gosta de História, esse museu e essa exposição mexem com a gente, de alguma forma. Em mim, revolveram as minhas lembranças, trouxeram à tona uma adolescente apaixonada pela Rússia, que devorava filmes e livros que falavam do país. Nessa visita, me emocionei várias vezes.

Hermitage
Entrada para a exposição 1917, no Hermitage
Nicolau II e o filho Alexei
Nicolau II e o filho Alexei

Registros

Pelos corredores por onde passamos, vimos faixas e cartazes que incitavam:  “Paz ao mundo todo, todo poder ao povo, toda terra ao povo”, “Proletários de todos os países, uni-vos!”, “A educação é uma ferramenta nas mãos do proletariado contra o jugo do Capital”.

Hermitage - 100 anos da Revolução
De um lado e do outro do corredor, tapeçarias. No centro, as mensagens revolucionárias, no alfabeto antigo.
 educação é uma ferramenta nas mãos do proletariado contra o jugo do Capital.
A mensagem: “a educação é uma ferramenta nas mãos do proletariado contra o jugo do Capital”.
A mensagem: “Operários! Só se quebra as correntes das trevas no caminho do socialismo”.
A exposição numa sala circular do Hermitage
A exposição numa sala circular do Hermitage
Hermitage
Charges, caricaturas e desenhos registravam os fatos e faziam a propaganda da época

Os Romanov na exposição

Quando, finalmente, a exposição começa, é a família Romanov que está em foco. Fotos, cartazes, roupas, objetos, filmes e ambientes referentes ao imperador Nicolau II, sua mulher Aleksandra Feodorovna e seus filhos, Olga, Tatiana, Maria, Anastásia, e Alexei – todos mortos e canonizados em 2000, tomam conta das paredes do museu. Toda a história estava nessa exposição, para quem quisesse conhecer ou conferir.

Portal para a Exposição 100 anos da Revolução Russa
Portal para a Exposição 100 anos da Revolução Russa
Três dos filhos de Nicolau II
Três membros da Família Romanov que, junto com os outros, foram executados em 17 de julho de 1918.
vestidos de Maria, Anastásia, Olga e Tatiana
Vestidos e acessórios que pertenceram à Maria, Anastásia, Olga e Tatiana Romanov, as filhas de Nicolau II
Hermitage
Paredes cobertas de história e muita gente emocionada com a história recente.
As enfermeiras tiveram uma participação importante na Revolução Russa
As enfermeiras tiveram uma participação importante na Revolução Russa
Águia de duas cabeças que decoravam o pavilhão do novo Hermitage
Águia de duas cabeças – símbolo que decorava o pavilhão do novo Hermitage
Nicolau II
Palavras de Nicolau II: “Eu nunca deixaria a Rússia. Eu a amo muito”.
O Hermitage foi um dos poucos museus a realizar uma exposição sobre o Centenário da Revolução Russa.
O Hermitage foi um dos poucos museus a realizar uma exposição sobre o Centenário da Revolução Russa.

Lênin

Encerrando a exposição, um quadro de Vladimir Ilyich Ulyanov, mais conhecido pelo pseudônimo de Lênin – o revolucionário comunista, teórico e dirigente que transformou o país.

Vladimir Ilyich Ulyanov, mais conhecido pelo pseudônimo Lenin: revolucionário, político russo
Vladimir Ilyich Ulyanov, mais conhecido pelo pseudônimo Lênin: revolucionário e político russo

Resistência

O Hermitage enfrentou vários desafios durante a sua existência: um incêndio que durou mais de 30 horas e consumiu quase todo o palácio; durante a Primeira Guerra, as salas foram transformadas em hospital; com a Revolução de 1917, além das perdas irreparáveis, foi declarado estatal, aberto à visitação gratuita e as exposições eram feitas com acervos de outros museus. Muitas das suas obras foram para o Museu Pushkin, em Moscou, e nos anos 1930, 2800 pinturas foram vendidas para angariar verba para o Estado. Ainda assim, o Hermitage é grandioso, imponente.

Hermitage
O prédio sofreu muitos danos mas, serviu de morada para os funcionários que passaram a morar lá junto com suas famílias, intelectuais e artistas da época, que conseguiram manter todo o acervo intacto, durante a guerra.

Para visitar o Hermitage

É preferível comprar o ingresso para o Hermitage, no site do museu, válido para 180 dias, para evitar as longas filas. Com o ingresso impresso, a entrada é por trás do museu, onde dá para ver uma máquina onde também se pode comprar o ingresso na hora.
A entrada por trás do Hermitage
A entrada por trás do Hermitage
Hermitage
No meio do caminho, a máquina para comprar o ingresso.
Endereço: 34, Dvortsovaya Naberezhnaya / 2, Dvortsovaya Ploschad (Praça do Palácio)
Estação do Metrô: Admiralteyskaya
Horário: De terça a domingo, das 10:30 às 18h. Quarta-feira, até às 21h.
Sitehttp://www.hermitagemuseum.org/
Ingresso: 700 rublos (42 reais) – para o Complexo do Museu Principal, Edifício do Estado-Maior, Palácio de Inverno de Pedro, o Grande, Palácio de Menshikov, Museu da Fábrica da Porcelana Imperial.
Fotos e vídeo: 200 rublos (12 reais). Áudios-guia estão disponíveis.
Acessibilidade: O museu está preparado para receber cadeirantes (rampas / elevadores) e possui aluguel de cadeira de rodas – solicitada pelo site, com antecedência.

6 comentários sobre “Hermitage, um museu incrível em São Petersburgo”

  1. Lindo. Realmente fiquei com vontade de conhecer. A Rússia não estava na minha lista prioritária de países a visitar, mas agora está. Obrigado Sônia.

    1. Fico feliz em ter lhe inspirado. A Rússia é um país incrível, você não vai se arrepender de dar uma passadinha por lá! Obrigada pela visita!

  2. Eita que esse museu é grande, precisa de um dia inteiro para ver tudo!
    Gustavo

    1. Na verdade, vários dias, Gustavo. O museu é enorme, há muito o que ver!

  3. Sônia! Uma ajuda por favor, eu fiz a compra dos ingressos neste site que você indica. Veio o débito no meu cartão, porém não recebi o e-mail com os ingressos, e não consegui mais visualizar no site… você teria alguma dica sobre isto? Grata desde já!

    1. Oi, Caren!
      Deve ter no site, um local para comunicação, para você falar sobre isso. Tem muito tempo que você fez a compra? Como é o site do museu, eu posso dizer que é um local seguro. Eu não tive problema. Enviei um e-mal pra vc, agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *