logo existe um lugar no mundo 1578

Doha: o guia definitivo para o seu planejamento de viagem

Compartilhe esse artigo:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Pinterest
The Al Sheikh Abdullah Bin Zaid Al-Mahmood Islamic Cultural Centre in Doha, Qatar
The Al Sheikh Abdullah Bin Zaid Al-Mahmood Islamic Cultural Centre in Doha, Qatar

Doha, a capital do Qatar, é um destino que surpreende. Nós estivemos por lá em junho de 2023 e ficamos impressionados com tudo o que vimos: uma cidade limpa e organizada, vibrante e em constante evolução, que mantém suas raízes culturais enquanto se estabelece como uma metrópole moderna, que oferece conforto, especialmente, ao seu povo. Neste post, vamos passar todas as dicas para ajudar seu planejamento: onde fica, como chegar, onde ficar, como se locomover, o que comer, onde comer e tudo o que pode ajudar no seu roteiro.

Localização

Doha está localizada na costa leste da Península Arábica, na região do Golfo Pérsico, conhecida como Golfo do Qatar e é cercada por águas rasas e praias de areia. Faz divisa com a Arábia Saudita, pertinho do Bahrein e dos Emirados Árabes. É a capital e a maior cidade do Qatar, um pequeno país no Oriente Médio. Sua localização estratégica a tornou um importante centro econômico, político e cultural na região do Oriente Médio.

Doha no Google Maps
A localização de Doha, no mapa do Google

Como chegar a Doha

A melhor forma é com a Qatar Airways, que tem voos diários São Paulo – Doha. A viagem dura uma média de 16 horas, mas uma vez que a Qatar é uma das melhores companhias aéreas do mundo, o trajeto não é tão ruim assim. Existem outras opções, como a Turkish Airlines e a British Airways, mas ambas têm conexão. A primeira em Istambul e a segunda em Londres. Nas duas cidades, você pode dar uma esticadinha na estada. A chegada é no Aeroporto Internacional de Hamad.

Aeroporto de Doha, Qatar
As linhas sinuosas do aeroporto de Doha

Doha: nossa passagem por lá – stopover

Quando fomos a Doha, o nosso destino era a Turquia, mas o voo não era direto, tinha uma conexão na capital do Qatar e oferecia vantagens irresistíveis neste stopover. A gente poderia esticar essa conexão na cidade em 1, 2, 3 ou 4 dias, em hotéis de 4 a 5 estrelas, com diárias a partir de 14 dólares. Quem poderia resistir? Optamos por 2 noites por lá, mas se tivéssemos optado por 3, teria sido melhor ainda.

Arranha-céus de Doha, Qatar
Os arranha-céus de Doha no horizonte

Visto

Nós, brasileiros, e mais 80 nacionalidades estamos isentos do visto para entrar no país. Podemos permanecer 90 dias no Qatar, apenas, com o passaporte válido para no mínimo 6 meses. A entrada no Qatar é muito simples e não precisamos preencher nenhum formulário. Passamos pela imigração com tranquilidade. Mas o nosso drone ficou retido no aeroporto, era proibido entrar no país com ele. Na saída, chegamos com antecedência para pegar nosso drone de volta.

Quando ir a Doha

Nós fomos no mês de junho, quando o calor alcançava as temperaturas mais altas. Pegamos mais de 50 graus, o que limitou a nossa estada, sobremaneira. A época ideal para ir a Doha é entre os meses de novembro e abril. Durante esse período, o clima em Doha é mais agradável, com temperaturas mais amenas durante o dia e mais frescas à noite. Os meses de inverno, especialmente, dezembro e janeiro, são considerados os mais agradáveis, com temperaturas diurnas variando em torno de 20°C e, à noite, 25°C e sem a umidade intensa que caracteriza os meses de verão.

Minha dica para enfrentar o calor

Se você for a Doha no verão, não abra mão do chapéu, do protetor solar e do isotônico. Água não é o bastante, uma vez que não repõe os carboidratos, os sais minerais e as vitaminas que a gente perde no suor. O isotônico repõe tudo. Aprendemos isso, com um médico bem velhinho, em Bangkok, Tailândia, quando João Miguel passou mal, visitando o Grand Palace. No exame de sangue, vimos que ele havia perdido quase todo o magnésio do organismo, ocasionando um cansaço sem precedentes.

De lá para cá, nunca mais deixamos de ter isotônico na nossa geladeira. E quando viajamos, é ele que a gente prefere, em vez de água.  Uma outra dica é evitar ficar na rua do meio-dia às 16 horas, como os moradores costumam fazer. Deixar para sair, quando o sol baixar.

A moeda do Qatar

O Rial Catarino é a moeda do Qatar e vale 27 centavos de dólar, em torno de 1 real. Como não tem como comprar o Rial no Brasil, a melhor moeda para levar é o Euro ou o Dólar Americano. Nós trocamos um pouco de dinheiro no aeroporto, mas existem várias casas de câmbio espalhadas pela cidade, inclusive, no Souq Waqif, onde ficamos hospedados.

A língua

A língua oficial do Qatar é o árabe. No entanto, em função da sua população multicultural e da presença de expatriados de todo o mundo, o inglês também é amplamente falado e compreendido, especialmente nos negócios e no setor turístico. Além disso, o povo é muito simpático e faz questão de ajudar. Nós não tivemos problema algum com a língua.

Onde se hospedar

Com a ótima promoção da Qatar Airways, escolhemos o Al Mirqab Boutique Hotel, um 5 estrelas super bem localizado, no coração do Souq Waqif, um dos mais importantes pontos turísticos de Doha e pertinho do metrô. E pelo que percebemos, este é o melhor local para se hospedar na cidade. Pagamos pelas duas diárias o equivalente a 300 reais. No Souq, também estão o Al Bidda, da mesma rede (Tivoli), assim como o  Souq Waqif Boutique Hotel, o Al Najada Doha Hotel e outros de excelente qualidade.

No Corniche, que é a orla da cidade, também existe uma infinidade de hotéis, como o Sheraton Grand Doha, Raddison Blu e o The Ned Doha. Mas adianto que é um tanto isolado, embora a vista seja maravilhosa.

Carrinho do Al Mirqab Boutique Hotel
Para chegar ao hotel, depois que saímos do táxi, esse carrinho foi nos buscar a 100 metros do hotel
Recepção do hotel em Doha, Qatar
A recepção decorada no estilo local
Quarto do Al Mirqab Boutique Hotel
O quarto bonito e confortável, com ar-condicionado, quase não nos deixa sair para o calor de 50 graus lá fora. Foto: divulgação

Bebidas alcóolicas e outros costumes

Quem escolhe ir ao Qatar, deve estar certo de que precisa seguir algumas regras, uma vez que vai se deparar com algumas proibições. Afinal, trata-se de um país muçulmano. Na verdade, a gente precisa se adaptar ao país que visita e não o contrário. Por isso, durante o período que passar em Doha, esqueça a cervejinha. Bebida alcoólica é proibida e a embriaguez  em público é considerada uma ofensa. Em alguns lugares privados, é possível beber, como nas salas vips do aeroporto e nos hotéis.

Beijos, abraços, demonstração de carinho entre casais, em público, também não são de bom tom, são considerados obscenos pelo Código Penal do país. Roupas decotadas, saias curtas, justas, ombros à mostra estão fora de cogitação. Eu estava usando um vestido sem mangas quando cheguei e um homem no Souq Waqif apontou o celular para mim e começou a gravar. Achei estranho, mas na verdade, a estranha era eu.

Os homens podem usar bermuda, mas nada de camisetas regata, peito à mostra. O homossexualismo é terminantemente proibido.

A segurança em Doha

Neste quesito, a tranquilidade é total. Andamos sem medo pelas ruas de Doha, durante o dia e à noite. Vimos muitas mulheres sozinhas em todos os horários e tivemos a certeza de que a violência e a bandidagem não têm lugar nesse país.

Como se locomover em Doha

Nós gostamos muito de caminhar pelas cidades, mas Doha não permite que isso seja feito o tempo todo. Alguns pontos turísticos estão distantes uns dos outros e é preciso usar algum tipo de transporte, como o Uber, que é muito barato, o táxi ou o metrô, um dos mais baratos do mundo e é um verdadeiro espetáculo: novo, limpo, claro e confortável.

Metrô de Doha, Qatar
O metrô ficou pronto para a Copa do Mundo
metrô
João Miguel aproveitando o conforto da Classe Premium, que entramos sem querer.

O que comer em Doha

A culinária local é caracterizada pelo sabor condimentado, eles usam muitos temperos e especiarias, a exemplo do açafrão. A carne principal é a de cordeiro, mas eles também consomem carne de boi, peixes e legumes. A carne de porco é proibida para os muçulmanos, mas pode ser comprada com autorização, por estrangeiros residentes, numa espécie de centro de distribuição, onde se pode, também, comprar bebida alcoólica.

Café e tâmaras

Essa dupla faz parte da cultura hospitaleira do Qatar. Quando um morador recebe você em casa, ele, certamente, vai oferecer café e tâmaras. Muitos hotéis também oferecem, num cantinho da recepção ou outro local do hotel. Vale a pena experimentar o café no Qatar, que é feito com uma mistura de açafrão e cardamomo, uma especiaria para doces e salgados, deixando o sabor do café bem diferente.

Pratos

Warak Enab – comum em todo o Oriente Médio, as folhas de parreira recheadas têm um sabor especial no Qatar. Em Doha, ele é feito com carne bovina moída ou cordeiro e arroz, temperados com alho, pimenta e coentro. Por cima, algumas gotas de limão. No Brasil, é o conhecido Charutinho de Uva, um prato libanês.

Warak Enab
Warak Enab foi o meu pedido para comemorar o dia dos namorados e aniversário de casamento.

Machbūs – este prato tradicional consiste num arroz temperado com açafrão, cominho e canela, com cordeiro, frango ou peixe e legumes.

Balaleet – este prato da culinária árabe, que pode ser doce ou salgado, que pode fazer parte do café da manhã, consiste numa massa, com água de rosas e açafrão. Por cima, omelete.

Luqaimat – este bolinho é um prato tradicional dos Emirados Árabes Unidos e outros países da região do Golfo. O bolinho é frito e, geralmente, consumido como sobremesa durante o mês sagrado do Ramadã. Eles são feitos de massa fermentada que é frita até ficar dourada e crocante por fora, enquanto o interior fica macio. Após a fritura, os luqaimat são polvilhados com açúcar ou regados com mel.

Luqmait
Luqmait lembra os nossos bolinhos de chuva. Foto: Freepics

Rogag – prato tradicional do Qatar e de outros países do Oriente Médio. Trata-se de um pão fino e macio, parecido com uma panqueca ou crepe, e feito com farinha, água, sal e fermento. Ele pode ser recheado com queijo, carne ou vegetais.

Kousa Mahshi – é abobrinha do Oriente Médio recheada com cordeiro moído, legumes e temperadas com salsa e hortelã. Para os vegetarianos, o recheio pode ser com grão de bico.

Laban este prato, muito comum no Qatar, é feito com iogurte, pepino e temperos como alho e hortelã.

Kabsa: parecido com o Machbous, este prato é feito com arroz e carne, e é servido com vegetais variados e nozes.

Harees – prato tradicional feito com trigo e carne, cozido até formar uma consistência cremosa.

Onde comer em Doha

Souq Waqif

No mercado, uma infinidade de bares e restaurantes oferecem a culinária árabe, assim como a italiana, a japonesa, a iraniana, a iraquiana, a indiana e outras tantas nacionalidades. É que mais de 85% da população do país é estrangeira e isso contribui para a diversidade, inclusive, gastronômica. Encontra-se quase tudo no Qatar e os restaurantes internacionais estão por todos os lados, desde os mais simples aos mais sofisticados.

O Souq Waqif é uma ótima referência para comer. Por lá, estão o Al Jasra, no hotel de mesmo nome, que oferece pratos tradicionais; o lindo e iluminado Damasca One, para experimentar as iguarias sírias – os mezzes, que são uma variedade de pequenos pratos da culinária do Oriente Médio, consumidos como aperitivos – homus, babaganuche, falafel, tabule, azeitonas, queijos, pães e uma série de outros pratos saborosos. A palavra “mezzes” vem do persa e significa gostosuras ou pequenas delícias; o Argan Moroccan Restaurant, para a culinária marroquina e o maravilhoso Parisa, com culinária persa e um ambiente deslumbrante, desde a entrada.

Parisa Restaurante

Assim que a gente passa pela porta de entrada do Parisa, a gente se depara com obras de arte persas de mitos e lendas pintadas à mão, mosaicos rebuscados, lustres ornamentados e milhares de pequenos espelhos trazidos do Irã e montados em Doha, ao longo de 3 anos e meio. Existem mais 2 restaurantes Parisa na cidade.

Restaurante Parisa
A entrada no Parisa impressiona . Pena que a foto não traduza toda a beleza do restaurante persa.
Restaurante Parisa, em Doha, Qatar
Um jantar no Parisa consegue mexer com todos os nossos sentidos
Damasca Restaurante, em Doha, Qatar
O Damasca Restaurante, mais simples e igualmente lindo, ficava na esquina do nosso hotel

Yasmine Palace Restaurante

The Pearl é um destino sofisticado para experimentar a gastronomia, tanto local quanto internacional. Lá estão alguns dos melhores, mais bonitos e impressionantes restaurantes da cidade e foi para lá que seguimos, para comemorar nosso aniversário de casamento, no Yasmine Palace. Assim como o Parisa, o Yasmine é deslumbrante. A gente não sabe se presta atenção na comida, se conversa ou só observa a estrutura colorida e iluminada. Na entrada, fomos recebidos com um cálice com suco de manga, maracujá e laranja – inesquecível.

Sonia e João Miguel na porta do Yasmine Palace Restaurante
A suntuosa entrada do Yasmine Palace
Yamine Palace - restaurante
Por dentro, o Yasmine é mais impressionante ainda, com a iluminação artística e muitos arabescos
O Yasmine Palace, em Doha, Qatar
O Yasmine Palace é inspirado nas culturas e civilizações árabes.
Salão do Restaurante Yasmine Palace, em Doha, Qatar
O restaurante é uma verdadeira extravagância de cores e arabescos
Kebab do Yasmine Palace, em Doha, Qatar
O kebab que eu escolhi, à altura da beleza do restaurante
Sonia e João Miguel no Restaurante Yasmine Palace, em Doha, Qatar
Nós dois comemorando a alegria de viver juntos

O que fazer na capital do Qatar

Doha é uma surpresa em todos os sentidos, inclusive, nas opções de lazer, tanto para os moradores quanto para os visitantes. Todos se surpreendem positivamente com a capital do Qatar. A paisagem é belíssima, os parques, o Corniche, o skyline. São muitos os museus e pontos de interesse. Há muito o que ver em Doha. Prepare-se para uma programação muito interessante e diversificada, que você pode conferir no nosso próximo post – 15 motivos para conhecer Doha, a irresistível e fascinante capital do Qatar

Compartilhe esse artigo:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Pinterest
Reddit
Tumblr

você também pode gostar

autor(a)

Sônia Pedrosa

Sônia Pedrosa

Publicitária

comentários

16 respostas

  1. Oi Sonia&Wendell, já estive algumas vezes em Doha e lendo seus comentários e dicas, fiz um retorno imaginário àquela cidade impressionante.
    Obrigado, valeuuu!
    M. Luiz

  2. Sonia , você nos levou para viajar pelo mundo, muito antes destes pgm que passam nas tv e com muito mais informações, dicas e indicando tudo de melhor. Obrigada, querida amiga! Parabéns!!! Uáu…..
    Beijinhos e saudades!!!

  3. Com esses pregos de hotel por noite, eu ficaria dos 5 dias. A propósito, esse stop over é fantástico, viu?
    Eu que já sou fã de adicionar um novo destino na viagem, não resistiria mesmo!

  4. Fiquei impressionada com o post sobre Qatar. Dicas muito valiosas e texto leve de ler.
    Parabéns Sônia. Adoro suas dicas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mais recentes

Arquivos