Casa Rosada, em Buenos Aires

Mi Buenos Aires querido! Dez atrações imperdíveis na capital da Argentina

Por Wendell Almeida

Não é à toa que a Argentina ocupou em 2019 o segundo lugar no ranking de lugares mais visitados por brasileiros no mundo, perdendo apenas para Santiago do Chile, e desbancando as queridinhas Miami e Orlando, nos EUA (fonte: site ig). A alta do dólar e a desvalorização do peso argentino não são as únicas razões desse panorama; o fato é que, apesar da aparente “rixa” existente entre nós, brasileiros, e nossos hermanos, o charme e a elegância da sua capital, Buenos Aires, sempre nos atraíram para lá.

Boa gastronomia, arte, antiguidades, compras, muita diversão e lazer para todos os gostos são alguns dos itens que tornam este destino tão procurado, em qualquer época do ano. A arquitetura clássica, com lindos edifícios do século XIX; os inúmeros cafés e livrarias espalhadas pela cidade; os museus com acervos de grande relevância artística; dentre outras tantas características, dão à capital portenha um certo ar europeu e cosmopolita, que nos faz sentir mais longe do que realmente estamos.

Siga nosso perfil no Instagram: https://www.instagram.com/existe_um_lugar/

arquitetura clássica em Buenos Aires
A arquitetura clássica que faz de Buenos Aires um pedacinho da Europa na América Latina

Aliás, não importa onde moremos no Brasil, chegar a Buenos Aires é muito prático, o que incentiva, inclusive, visitas de pouco tempo, como um final de semana, por exemplo.

O Existe um Lugar no Mundo selecionou 10 atrações imperdíveis na cidade de Buenos Aires; esclarecendo, todavia, que há muito mais para ser visto e feito na capital portenha, caso você disponha de tempo.

1 – Plaza de Mayo

Centro da vida política de Buenos Aires, esta praça, localizada no Bairro Monserrat, recebeu este nome como homenagem à Revolução de Mayo de 1810, que iniciou o processo de independência das colônias espanholas.

Nesse espaço arborizado e ladeado por prédios inspirados na arquitetura francesa, está entranhada boa parte da história do país: sua fundação, em 1580; a Revolução de Mayo, em 1810; o juramento da Constituição Nacional, em 1860; os movimentos peronistas da década de 40 e os panelaços do ano 2000. Trata-se do endereço para as manifestações políticas, que sempre começam na Plaza de Mayo.

Plaza de Mayo, em Buenos Aires
Pirâmide de Mayo, no centro da Plaza de Mayo, em Buenos Aires

Em seu centro, encontram-se monumentos como a Pirâmide de Mayo, encomendada em 1811, para comemorar o primeiro aniversário da revolução e a estátua equestre de Manuel Belgrano, construída em 1872, para homenagear este líder militar, considerado um dos principais libertadores do país.

Nos arredores da praça estão ainda alguns dos principais pontos de interesse da cidade, como a Casa Rosada e a Catedral Metropolitana, o que faz dela um ótimo ponto de partida para explorar a cidade.

Casa Rosada

Sede do Governo da República Argentina desde 1873, este edifício cor de rosa (característica que originou seu nome) teve sua construção finalizada em 1898.

Casa Rosada, na Plaza de Mayo, em Buenos Aires
Casa Rosada, na Plaza de Mayo, em Buenos Aires

Dado curioso e facilmente observável no prédio é falta de simetria entre o seu centro e os lados direito e esquerdo. A causa foi a ordem de demolição, dada em 1937 pelo então presidente Augustín Justo. Em 1938, porém, o presidente eleito Roberto Marcelino Ortiz impediu a demolição total do prédio. Sua ala leste, todavia, já havia sido demolida, e assim o edifício permanece até hoje.

Embora muitos turistas se limitem às fotografias na frente da Casa Rosada, é possível conhecê-la por dentro, bastando, para isto, agendar uma visita guiada gratuita. Ali há um museu que guarda mais de 10 mil objetos de antigos presidentes.

Visite o site oficial para mais informações clicando aqui.

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Sede da Igreja Católica de Buenos Aires, a Catedral Metropolitana impressiona pela beleza e exuberância de seu edifício. Aliás, vista de fora, dificilmente passa a impressão de ser uma igreja, em razão de sua fachada neoclássica, sustentada por doze colunas gregas.

A beleza da Catedral Metropolitana de Buenos Aires
A beleza da Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Olhando mais de perto, todavia, as imagens em relevo em seu frontispício, ilustrando o encontro de Jacó com seus filhos no Egito, parecem anunciar um edifício religioso. Na parte posterior, avista-se uma enorme cúpula de 41 metros de altura.

A beleza do interior da Capital Metropolitana de Buenos Aires
A beleza do interior da Capital Metropolitana de Buenos Aires (imagem: site oficial da Catedral)
Os afrescos da cúpula da Capital Metropolitana de Buenos Aires
Os afrescos da cúpula da Capital Metropolitana de Buenos Aires (imagem: site oficial da Catedral)

Não bastasse a beleza interior do prédio, com imponentes estátuas do séc. XVIII, retábulos, uma rica decoração neo-renascentista e neobarroca, bem como o túmulo do General José de San Martin, o local virou o grande atrativo de visitantes em razão da consagração do Papa Francisco, já que, antes do Papado, Jorge Bergoglio foi Arcebispo de Buenos Aires e, portanto, condutor daquela Arquidiocese. Ali foi instalado, inclusive, um museu em honra ao Sumo Pontífice.

2 – Avenida 9 de Julho

Considerada uma das avenidas mais largas do mundo (140 metros), a Avenida 9 de Julho tem esse nome em celebração à Declaração da Independência da Argentina, em 1816. Margeada por edifícios comerciais, lojas e restaurantes, tem como principal ponto de interesse o famoso Obelisco, no cruzamento com a Avenida Corrientes.

Obelisco, na venida 9 de Julho, um dos símbolos da cidade de Buenos Aires
Obelisco, na Avenida 9 de Julho, um dos símbolos da cidade de Buenos Aires

Este monumento de 67,5 metros de altura foi erguido em maio de 1936 para celebrar o quarto centenário da fundação da cidade de Buenos Aires. Vale a pena visitá-lo pelo dia e à noite, quando sua iluminação lhe atribui um charme à parte. É possível chegar ao Obelisco à partir da Plaza de Mayo, através da Avenida Presidente Roque Saénz Peña, numa caminhada de aproximadamente 14 minutos (1km).

3 – Teatro Colón

Ainda nas proximidades do Obelisco, na Avenida 9 de Julho, está o magnífico edifício do Teatro Colón. Inaugurado em 1908, o edifício é uma cópia (bem parecida) da Ópera Garnier de Paris. Suntuoso por fora, encanta ainda mais quem o visita por dentro.

O Teatro Cólon de Buenos Aires, que teve inspiração na Ópera Garnier de Paris em sua construção
O Teatro Cólon de Buenos Aires, que teve inspiração na Ópera Garnier de Paris em sua construção

Caso não seja possível incluir em seu roteiro um espetáculo no interior do teatro, vale a pena comprar ingresso para uma visita guiada, onde informações preciosas são passadas sobre a história do edifício.

Interior do Teatro Colón, em Buenos Aires
Interior do Teatro Colón, em Buenos Aires (imagem: pixabay)

As visitas são compradas para horário determinado, portanto, não arrisque deixar para comprar na hora. Se não quiser adquirir antes, pelo site do teatro, dê um pulinho no local no dia anterior ao da visita para comprar seus ingressos.

4 – La Boca / El Caminito

Localizado na zona portuária, o bairro era como os arredores de qualquer zona de porto do mundo – antes das respectivas reformas: pobreza e prostituição. Só o fato de ser o berço do Tango o diferenciava dos demais. Até que um dia, o bairro foi adotado por um pintor chamado Quintela Martín, que se instalou e começou a colorir toda a decadência que espantava os turistas. Aos poucos, a Gata Borralheira virou uma princesa.

Outros artistas chegaram e, inspirados pela estética dos imigrantes italianos, transformaram uma rua de cem metros de comprimento no cartão postal mais famoso da cidade: o coloridíssimo Caminito, uma rua de pedestres repleta de murais, esculturas e pinturas, que ganhou esse nome em homenagem ao tango de Juan Dios Filiberto, morador do bairro.

A figura do Papa Francisco, "abençoando" os visitantes de Caminito
A figura do Papa Francisco, “abençoando” os visitantes de Caminito

Na Calle Magallanes, um Centro Cultural conserva sua construção original, de 1881, e dois bonecos representando Carlos Gardel e Maradona chamam a tenção dos visitantes. Ao longo do Rio da Prata, um calçadão, repleto de lojas e restaurantes, termina na Ponte Nicolas Avellaneda, monumento declarado Patrimônio Histórico Nacional, em 1949.

O colorido das casas de Caminito, que deixa o local ainda mais atraente
O colorido das casas de Caminito, que deixa o local ainda mais atraente
As fotos no local são irresistíveis para os visitantes
As fotos no local são irresistíveis para os visitantes

O local é ótimo para almoçar um belo bife de chorizo, assistindo a um casal de bailarinos dançando tango; comprar souvenirs e fazer fotos bem divertidas.

Taxi e uber são as melhores maneiras de chegar lá, posto que não há linha de metrô para o local. Evite visitar o local à noite, já que o bairro ainda é um dos mais pobres da cidade.

5 – San Telmo

San Telmo é a parte mais antiga de Buenos Aires. Mansões do século XVIII, luminárias antigas e ruas de pedra ainda são vistas por lá. Mas, caiu no ostracismo, quando a Febre Amarela atingiu a comunidade aristocrática que habitava o bairro. Afugentadas para o norte, as famílias cederam lugar para os imigrantes, que trataram de recuperar as mansões e transformá-las em galerias de arte, antiquários e casas de tango.

Hoje, o bairro está recuperado e vive seus dias de glória. Aos domingos, na Plaza Dorrego, acontecem as feiras de antiguidade, onde artistas de rua se misturam às 270 barracas que vendem gramofones, faqueiros de prata de lei, móveis franceses, quadros, relógios, e aos inúmeros turistas, que transformam as ruas de San Telmo numa animadíssima festa. Ao redor da praça, bares, restaurantes e botecos lotam e os dançarinos e pretensos dançarinos de tango fazem seus shows na calçada.

A famosa feirinha de San Telmo que, aos domingos, reúne locais e turistas
A famosa feirinha de San Telmo que, aos domingos, reúne locais e turistas (foto: buenosaires.gob.ar)

Em San Telmo fica o famoso banquinho da Mafalda – personagem do cartunista Quino, onde turistas fazem fila para fotografarem ao lado da estátua (Esquina das ruas Chile e Defensa).

O banquinho da Mafalda, onde turistas fazem fila para fotografar sentados ao seu lado, em San telmo
O banquinho da Mafalda, onde turistas fazem fila para fotografar ao seu lado (foto: buenosaires.gob.ar)

6 – Puerto Madero

Embora se trate de um bairro, com aproximadamente 5 km², a área mais conhecida e visitada de Puerto Madero é a que margeia quatro diques, cujos charmosos prédios de tijolos vermelhos foram restaurados nos anos 90 e transformados em restaurantes e churrascarias sofisticadas, frequentadas por turistas e executivos que trabalham nos arranha-céus fincados nos arredores.

Os antigos galpões de tijolos vermelhos, hoje transformados em restaurantes sofisticados em Puerto Madero
Iates estacionados nos diques, em Puerto Madero – Buenos Aires
Os antigos galpões de tijolos vermelhos, hoje transformados em restaurantes sofisticados em Puerto Madero
Os antigos galpões de tijolos vermelhos, hoje transformados em restaurantes sofisticados em Puerto Madero

Esses prédios modernos convivem pacificamente com edifícios do século passado, a exemplo da belíssima sede da Aduana de Buenos Aires, uma construção neoclássica, inaugurada em 1910 e do Centro Cultural Kirchner.

Puente de La Mujer

Esta obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, que liga um lado a outro de um dos diques de Puerto Madero é uma queridinha dos turistas para fotografias.

A ideia da ponte da mulher é representar um casal dançando tango
A ideia da ponte da mulher é representar um casal dançando tango

Seu design objetiva representar um casal dançando tango. O mastro de 6,20 metros de altura representa o homem e a silhueta curva faz referência à mulher.

Seguro Viagem: América do Sul
Affinity 15 + Telemedicina Affinity 15 + Telemedicina Assistência médica USD 15.000 Bagagem extraviada USD 1.000 (SUPLEMENTAR) R$ 14/dia*
AC 35 MUNDO (Exceto EUA) + TELEMEDICINA AC 35 MUNDO (Exceto EUA) + TELEMEDICINA Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 15/dia*

7 – Recoleta

O famoso bairro da Recoleta é muito mais que o seu conhecido cemitério. Charmoso e sofisticado pelas residências construídas em estilo parisiense, o edifício do Museu Nacional de Belas-artes e o Centro Cultural da Recoleta fazem valer à pena uma passagem pelo local.

Cemitério de La Recoleta

Visitar cemitérios pode parecer arrepiante para algumas pessoas, mas é um programa adorado por muitos turistas no mundo inteiro. Nosso blog, inclusive, já publicou um post dedicado exclusivamente a passeios em cemitérios.

Famoso pela extravagância de seus túmulos, o cemitério da Recoleta é muito visitado por turistas que se encantam com as esculturas, verdadeiras obras de arte.

A extravagância dos túmulos nos cemitério da Recoleta, em Buenos Aires
A extravagância dos túmulos no cemitério da Recoleta, em Buenos Aires

O ponto alto da visita ao local é o túmulo de Evita Perón, a inesquecível e até hoje adorada primeira-dama da Argentina, de 1946 a 1952.

Museu Nacional de Belas Artes

Inaugurado em 1896, o Museu Nacional de Belas Artes de Buenos Aires foi transferido para o atual edifício em 1933. Em seu acervo está a maior coleção de arte argentina do país, com obras de Cándido López, Lino Enea Spilimbergo, Prilidiano Pueyrredón, Fernando Fader, Benito Quinquela Martín, Xul Solar, Antonio Berni, Carlos Alonso e Antonio Seguí e artistas internacionais, como El Greco, Goya, Rodin, Rembrandt, Rubens, Renoir, Degas, Cézanne, Chagall e Picasso.

Faixada da imponente sede do Museu Nacional de Belas-Artes, na Recoleta, em Buenos Aires
Fachada da imponente sede do Museu Nacional de Belas-Artes, na Recoleta, em Buenos Aires

Floralis Genérica

Ainda na Recoleta, descendo pela Avenida Presidente Figueroa Alcorta, está famoso monumento denominado Floralis Genérica, escultura erguida em 2002 na Praça das Nações Unidas, toda em aço inoxidável, presenteada à cidade pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano.

Floralis genérica
A escultura floralis genérica, toda em aço inoxidável, com seu mecanismo de fechar e abrir as pétalas

A escultura, que pesa dezoito toneladas e mede 23 metros de altura, tem um mecanismo elétrico que abre e fecha as pétalas, dependendo da hora do dia. Durante a noite a flor fecha e emana de seu interior um brilho vermelho. Pela manhã as pétalas se abrem, gerando a sensação de que o fazem em razão da luz solar. Durante quatro noites especiais no ano, a flor se abre: 25 de maio, 21 de setembro e 24 e 31 de dezembro.

8 – Palermo

O famoso Bairro Palermo é uma região que abriga sub-regiões, como Palermo Soho e Palermo Hollywood, conhecidas pelos seus parques abertos ao público, onde se costuma passear com crianças e animais de estimação; hotéis modernos; restaurantes; bares; lojas e casas noturnas.

Concentradas em Palermo e, próximas uma da outra, ficam algumas atrações bem visitadas em Buenos Aires, como o Jardim Japonês, o parque El Rosedal e o MALBA.

Jardim Japonês

Construído no Parque Três de Fevereiro, em 1967, para a visita do então príncipe-herdeiro do Japão, o atual imperador Akihito, o Jardim Japonês é um espaço público (embora cobre pela entrada), com árvores, bonsais e plantas, além de lagos com pontes, carpas, aves e estruturas que remetem a um ambiente e paisagem nipônicos.

A vegetação que remete ao ambiente natural japonês
A vegetação que remete ao ambiente natural japonês
O ambiente no Jardim Japonês, em Buenos Aires, nos remete mesmo ao Japão
O ambiente no Jardim Japonês, em Buenos Aires, nos remete mesmo ao Japão

O ingresso custa 200 pesos argentinos e informações sobre os horários de funcionamento podem ser encontradas clicando aqui para acessar o site do parque.

Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires – MALBA

Este moderno e confortável edifício inaugurado em 2001, abriga no acervo permanente do Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires, obras de renomados artistas latinos do Século XX, como, nada mais, nada menos, que Frida Kahlo, Diego Rivera, Fernando Botero, Antonio Berni, dentre outros; incluindo brasileiros, como Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Tarsila do Amaral.

Faixada do MALBA
A fachada do MALBA – Museu de Arte Latino-Americana do Século XX, em Buenos Aires

Obras impactantes, como “O Abaporu” de Tarsila do Amaral e “O Auto-retrato”, de Frida Kahlo, estão lá, fazendo valer, por si só, a visita.

O Abaporu, de Tarsila do Amaral
O Abaporu, de Tarsila do Amaral, no MALBA
O Auto-retrato de Frida Kahlo, no MALBA, em Buenos Aires
O Auto-retrato de Frida Kahlo, no MALBA, em Buenos Aires

Além do acervo permanente, o museu apresenta exposições itinerantes, de artistas contemporâneos.

O ingresso custa 280 pesos e mais informações sobre os horários de funcionamento podem ser encontradas clicando aqui para acessar o site do museu.

9 – Galerías Pacífico

Este edifício de arquitetura Beaux-Arts, localizado no cruzamento da Rua Florida com a Avenida Córdoba, funciona como um shopping center, repleto de lojas de marcas conhecidas, além de uma praça de alimentação, que reúne turistas e trabalhadores da região.

Galerías Pacífico, na Calle Florida, em Buenos Aires
Galerías Pacífico, na Calle Florida, em Buenos Aires (imagem: https://turismo.buenosaires.gob.ar/)
Interior luxuoso das Galerías Pacífico, em Buenos Aires
Interior luxuoso das Galerías Pacífico, em Buenos Aires (imagem: https://turismo.buenosaires.gob.ar/)
Afrescos na cúpula central das Galerías Pacífico, em Buenos Aires (imagem: https://turismo.buenosaires.gob.ar/)
Afrescos na cúpula central das Galerías Pacífico, em Buenos Aires (imagem: https://turismo.buenosaires.gob.ar/)

Além das compras, o grande atrativo das Galerías Pacífico é a sua cúpula central, construída e decorada com 12 afrescos dos artistas Lino Enea Spilimbergo, Antonio Berni, Juan Carlos Castagnino, Manuel Colmeiro e Demetrio Urruchúa.

10 – Show de Tango

Não é novidade que o tango está para Buenos Aires, como o Samba está para o Rio de Janeiro e o Fado está para Lisboa. Portanto, assistir a um show de tango na capital da Argentina é algo que realmente deve estar inserido em seu roteiro de visita à cidade.

Embora seja possível presenciar pequenas apresentações de tango nas ruas, restaurantes e locais turísticos, nada se compara a um bom e especializado show de tango.

Em Buenos Aires há inúmeras casas de tango, todas seguindo mais ou menos o mesmo padrão de serviço: jantar incluído, com entrada, prato principal, sobremesa e uma garrafa de vinho. Os preços, variam dos mais honestos aos mais inacreditáveis. O bom é que nem sempre é preciso ir às casas mais famosas para assistir aos melhores espetáculos.

A nossa sugestão é a Esquina Homero Manzi, localizada na Av. San Juan 3601. O show é emocionante, com bailarinos profissionais, banda e repertório intocável, que inclui, claro, o grande rei do tango, Carlos Gardel.

Ambiente confortável e agradável da casa de tango Esquina Homero Manzi (imagem: site oficial do local)
Ambiente confortável e agradável da casa de tango Esquina Homero Manzi (imagem: site oficial do local)
Espetáculo de tango na Esquina Homero Manzi (imagem: site oficial do local)
Espetáculo de tango na Esquina Homero Manzi (imagem: site oficial do local)

Buenos Aires tem muito mais para oferecer!

Como já antecipamos, quem dispuser de muito tempo livre em Buenos Aires, não terá dificuldade de encontrar o que fazer. A cidade oferece muito mais programas e atrações, além das que selecionamos, a dedo, para recomendar aqui.

Para cumprir toda esta programação, três dias são suficientes, desde que haja organização e disposição física. Sugerimos quatro dias para quem não quer ficar muito preso aos horários e desejar fazer tudo com mais calma.

Buenos Aires e arredores

Para quem tem ainda mais disponibilidade de tempo, a passagem por Buenos Aires permite também uma visita a Colônia del Sacramento, no Uruguai. Basta atravessar o Rio da Prata de BuqueBus, a partir do terminal hidroviário, em Puerto Madero. Uma esticadinha até Montevideo e Punta del Leste também vai muito bem.

Quando ir

Embora visitar Buenos Aires no friozinho tenha todo um charme especial, a cidade é vibrante e divertida em qualquer época do ano. Portanto, no inverno ou no verão, programe sua viagem de acordo com sua preferência de clima e temperatura.

Como chegar

Se você mora no sul do Brasil, é possível chegar a Buenos Aires de ônibus a partir de Porto Alegre, numa viagem de aproximadamente 18 horas. A maneira mais rápida, todavia, é de avião, em vôos diretos, a partir de várias cidades do país, a exemplo de Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, etc.

Confira os melhores preços de passagem para Buenos Aires aqui!
Passagens aéreas saindo de

Onde ficar

Buenos Aires tem uma excelente oferta de acomodações de todas as categorias. Hotéis, hostels, pousadas e apartamentos para locação se espalham por toda a cidade, para todos os gostos e bolsos. Os campeões de preferência entre os turistas, no entanto, são os hotéis localizados nas proximidades do Obelisco, na Av. 9 de julho. Se você pretende usar o metrô como forma de deslocamento, procure por um hotel próximo de uma estação, o que facilita bastante.

Transporte

A cidade de Buenos Aires é bem servida de metrô, ou subte, como eles chamam, mas nem todos os pontos turísticos são alcançados pelas linhas. Além disso, os bilhetes não são vendidos individualmente para cada viagem. É preciso ter um cartão – SUBE, e recarregar com o valor desejado. Táxis não faltam nas ruas e o uber também funciona perfeitamente.

O que trazer de lá

Não esqueça de trazer os famosos e deliciosos alfajores. Além da marca mais conhecida, Havana (com lojas espalhadas por toda a cidade), há outras marcas, igualmente boas, como a Cachafaz, Abuela Goye, até as mais baratas, encontradas também em supermercados, como Jorgito.

Os vinhos argentinos dispensam apresentação, não é? Portanto, aproveite sua estada em Buenos Aires para fazer boas aquisições.

A capital da Argentina está “logo ali”, relativamente próxima de nós e, por isso, é uma ótima e acessível opção de viajar para fora do país e poder conhecer uma cultura diferente da nossa, cheia de atrativos. Se você ainda não foi a Buenos Aires, agora já tem motivos de sobra para ir!

48 comentários em “Mi Buenos Aires querido! Dez atrações imperdíveis na capital da Argentina”

  1. Querido Wendell , amei sua publicação completíssima ✍???, j’ai une envie folle de connaître cette ville , será numa outra vida . Vou partilhar essa matéria com amigos . Valeu querido você , é um guia turístico fora do comum . Abraço
    Pascale

    1. Pascale, querida, muito obrigado pela gentileza! Quem sabe da próxima vez que vier ao Brasil não damos uma descidinha até Buenos Aires? Temos tempo! Rs. Obrigado por compartilhar nosso post!! Grande beijo

  2. Querido Wendell,
    Amei as 10 sugestões para essa viagem maravilhosa. Li tbm os comentários da minha amiga Pascale.
    Vc é realmente um Lord, dicas e roteiros perfeitos!!!
    Já tô até querendo viajar…
    Bjs, amigo!

    1. Oh, minha querida Nikki, muito obrigado!! Vamos carregar Pascale para Buenos Aires comigo! Kkkkk. Obrigado por visitar nosso blog. Grande beijo

  3. Mi Buenos Aires querido!!! Tão aconchegante!!!

  4. Excelentes dicas que só dão vontade de estar lá de novo. Buenos Aires é mesmo uma delícia e o povo muito simpático.

    1. Concordamos, Wilma!! Buenos Aires é destino para se visitar algumas vezes!! Muito obrigado por visitar o blog. Abraço

  5. Texto muito bem escrito e completo sobre essa linda capital!! Gostei muito da abordagem histórica também, o que é difícil de encontrar!! Parabéns mais uma vez!!!

  6. Mais uma vez lendo um texto do blog e morrendo de vontade de fazer as malas e viajar. Um trabalho fabuloso! Muito descritivo e informativo, expõe muito bem as razões dos autores chamarem a cidade de “querida”.

    Parabéns pelo trabalho!

    1. Que maravilha, Rael. Seus comentários nos deixam com vontade de mandá-lo para os respectivos destinos! rs Muito obrigado.

  7. Uma tour completa pela cidade sem sequer ter ido pessoalmente lá. Ótimo texto com ótimas descrições e dicas da cidade, como sempre superando as expectativas de quem fica no aguardo da próxima experiência escrita. Parabéns! Indicando aos amigos em 3,2,1

  8. Nossa! Deu vontade de visitar novamente Buenos Aires, Sônia, Wendel. Relembrei cada detalhe de onde passamos. Muito bacana. Obrigada ???

    1. Que coisa boa, Waneska!! Feliz por nosso post ter despertado essas lembranças. Espero que as dicas sejam úteis numa próxima ida a Buenos Aires. Obrigado por visitar nosso blog. Grande abraço.

  9. Excelente texto e bem didático, sobre essa que é, para mim, uma das melhores cidades das Américas, apesar da enorme crise que assola a Argentina há anos!
    Parabéns!

    1. Muito obrigado, Bonifácio. Concordamos com a classificação atribuída à cidade rsrs… e lamentamos também a crise que até transformou um pouco a atmosfera da cidade ao longo dos últimos anos, sem, contudo, tirar seu charme e elegância. Muito obrigado por visitar nosso blog. Grande abraço.

  10. Belo texto, parabéns.
    Cidade linda, encantadora, já fui 3 vezes e pretendo retornar breve, fiquei com saudade…..

    1. Entendo totalmente essa saudade rsrs… Buenos Aires é um destino se voltar algumas vezes mesmo. Que bom que não é tão distante de nós. Obrigado por visitar nosso blog. Grande abraço.

  11. Dicas maravilhosas e um relato perfeito dessa cidade cheia de encantos. Tudo foi reativado e já com desejos de retornar para matar a saudade… parabéns amiga!!!

    1. Que bom, Maria José. Feliz por haver motivado esse retorno à capital portenha. Espero que nossas dicas ajudem na próxima ida a BsAs. Obrigado pela visita ao blog. Grande abraço.

  12. Lindíssima Buenos Aires! Ótima matéria. Parabéns!

    1. Muito obrigado, Rodrigo! Espero que as dicas sejam úteis numa eventual ida a Buenos Aires. Obrigado por visitar nosso blog. Grane abraço.

    1. Que bom que gostou, Lea. Espero que sejam úteis numa eventual ida a Buenos Aires 😉 Obrigado por visitar nosso blog. Grande abraço.

  13. Wendell,parabéns! Apresentou a bela Buenos Aires com maestria.

    1. Terezinha, querida, obrigado pela visita em nosso blog… seu cartão fidelidade está mudando de categoria! rsrs.. bjão

    1. Verdade, Laryssa!!! Programação é o que não falta!!! Espero que nossas dicas sejam úteis numa eventual volta à BsAs… muito obrigado pela visita em nosso blog. Gde abco

  14. Já estive em Buenos Aires e lendo o texto, além de relembrar a minha visita, fiquei com uma enorme saudade e vontade de ir novamente, para explorar ainda mais essa linda cidade!

    1. Que maravilha, Rosina. Esperamos que nossas dicas sejam úteis na próxima ida Buenos Aires. Obrigado por visitar nosso blog. Grande abraço.

  15. Quanta informação bacana!!! Parabéns ????????

  16. Estive lá há um ano e adorei Buenos Aires. Recomendo muito visitar a cidade, é linda, maravilhosa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 6 =