Vigeland

Vigeland Park – Oslo – Noruega

O Vigeland Park está para Oslo como o Central Park para Nova Iorque, o Tiegarten para Berlim e o Hide park para Londres. Eles são uma espécie de oásis em meio à turbulência do dia-a-dia. São ainda pulmão da cidade, área de lazer. Mas, o Vigeland Park, em Oslo, capital da Noruega, é especial. São mais de 300 mil metros quadrados de espaço verde, cuidadosamente ornamentado por esculturas em tamanho natural, que contam a história da humanidade.

O idealizador do parque, Gustav Vigeland, dedicou, praticamente, toda a sua vida à obra, que hoje é o maior motivo de orgulho da cidade.

autor das obras
Gustav Vigeland – autor das obras

O Vigeland Park e o seu idealizador

Tudo começou na década de 20, quando Gustav Vigeland, um escultor ainda no início de carreira, ofereceu à cidade, uma fonte. Ela foi colocada no meio desse parque, conhecido, nessa época, apenas, como Frogner Park. A fonte fez tanto sucesso que a prefeitura de Oslo resolveu fazer uma proposta a Gustav Vigeland. Que ele realizasse um grandioso projeto naquele espaço, em troca de casa, comida e roupa lavada. Imediatamente, o escultor se mudou, de mala e cuia, para então começar o seu trabalho.

Trabalho artesanal

Com a ajuda de alguns artesãos, Vigeland esculpiu 192 peças, com mais de 600 figuras que narram a trajetória do ser humano. Do nascimento à velhice e morte, todas as fases estão retratadas. Na verdade, Vigeland moldava as peças e os artesãos, dirigidos por ele, transferiam o trabalho para a pedra.

O parque

Quando entramos no parque, passamos por uma larga avenida, ladeada por figuras de bronze em tamanho natural. São casais, pais brincando com filhos, mães, crianças esperneando, chorando, rindo. Tem até um feto. Mais adiante, a fonte contracena com vinte grupos de árvores, homens e mulheres.

Ainda em torno da fonte, cenas de amor, de crianças brincando, mulheres melancólicas, homens angustiados, velhos e crianças. A identificação com as situações é instantânea.

O monolito

O ponto alto do parque é o monolito – uma estrutura de mais de 14 metros, com 121 figuras humanas entrelaçadas, esculpidas num só bloco de pedra. A obra pesa 180 toneladas e levou 5 anos para ficar pronta, graças a ajuda de três artesãos. A coluna é composta de corpos de todas as idades, que se amontoam, sugerindo as mais variadas interpretações. Ali estão a ressurreição do homem, repetição do ciclo da vida, a luta pela existência e, pela ótica de Freud, um símbolo fálico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

monolito 1

O Frogner ou Vigeland, como é mais conhecido, é um parque temático e também um excepcional e definitivo arquivo da arte figurativa. A visita ao parque nos leva à reflexão de forma lúdica e prazerosa. Quarenta anos foram necessários para ele se tornar o que é hoje. Os felizes moradores de Oslo agradecem. Os turistas, idem. 

Para visitar o parque:

2 de maio a 31 de agosto:  de terça a domingo, das 10 às 17 horas.
1 de setembro a 30 de abril: de terça a domingo, das 12 às 16 horas.
Fechado: 1 de janeiro, Sexta-feira Santa, Domingo de Páscoa, 1 e 17 de maio, Noite de Natal, Dia de Natal, Véspera de Ano Novo.

Preços

Adultos: NOK 80. Estudantes, idosos (+67), crianças (+7): NOK 40. Crianças menores de 7 anos: entrada gratuita. Grupos (mínimo dez pessoas): 40. Oslo Pass: Entrada gratuita.

Localização

O Museu Vigeland está situado ao sul do Parque Vigeland (direção Skøyen), a cinco minutos a pé do portão principal do parque, ao longo do portão de Halvdans Svartes (de Frogner Plass).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *