Farol do Cabo Branco, em João Pessoa, Paraíba

João Pessoa: o que fazer na capital paraibana

Por Sônia Pedrosa

Depois de cinco dias em João Pessoa, capital da Paraíba, quero dividir com você o que vi e o que vivi numa das cidades mais bonitas do nordeste brasileiro. No rol das atrações da cidade, estão as belíssimas praias de águas verdes e mornas, culinária saborosa, história de mais de 400 anos e povo hospitaleiro – razões suficientes para atrair milhares de turistas todos os anos. Abaixo, dicas e informações para você considerar João Pessoa seu próximo destino de férias ou feriados.

João Pessoa - vista do Cabo Branco
João Pessoa e as suas curvas – quem resiste?

Como chegar

O Aeroporto Internacional Castro Pinto fica a 14 quilômetros do centro de João Pessoa, no município de Bayeux, e recebe voos de toda parte do país. Quem vai a João Pessoa de carro, como foi o meu caso, pega a BR 101.

BR 116
Por ser verão, a vegetação seria, em tese, seca. Mas está tudo verdinho.

Uma dica: mantenha o carro abastecido. Em Pernambuco, quando o combustível já estava chegando ao fim, encontramos dois postos, seguidos, fechados. Foi um sufoco. Melhor é não correr o risco de ficar na estrada, sem combustível.

Onde ficar

A capital paraibana está muito bem servida de pousadas e hotéis e os principais ficam na orla – Tambaú, Manaíra, Cabo Branco… acomodação para todos os gostos e bolsos. Mas, temos uma sugestão, que consideramos o melhor custo-benefício: Hotel Cabo Branco Atlântico – localizado numa área sossegada, de frente para o mar, com apartamentos grandes, chuveiro e ar-condicionado perfeitos, café da manhã delicioso e atendimento super gentil. Nós recomendamos o hotel com prazer.

Hotel Cabo Branco Atlântico
Hotel Cabo Branco Atlântico – melhor custo-benefício da área

Quanto tempo ficar

Uma semana é de bom tamanho para explorar bem a cidade, experimentar a culinária, conhecer o Centro Histórico e as praias. Mas, para ser feliz, mesmo, reserve de 10 a 15 dias. Você só corre o risco de não querer voltar para casa.

Quando ir

Em João Pessoa, é verão o ano todo. Mas, de setembro a maio, o sol brilha e esquenta na temperatura máxima. Esta é a melhor época para quem não tem medo do sol e quer se entregar aos prazeres que uma praia proporciona.

Praia de Camboinha, em João Pessoa
Horizonte perfeito: Praia de Camboinha

Onde comer

A capital paraibana está repleta de bons restaurantes. Muito difícil escolher um para comer ou eleger o melhor. Abaixo, sugestões de alguns dos que nós experimentamos e aprovamos:

Mangai – o restaurante de comida regional e brasileira em geral, self-service, que conseguiu reunir atendimento correto, quantidade, variedade e qualidade. Não deixe de experimentar os sucos maravilhosos – seriguela, graviola, goiaba… O de manga parece um creme… imbatível. O ambiente é climatizado e o quilo custa 70 reais.

Nau Frutos do Mar – o restaurante é especializado em frutos do mar, mas o cardápio é bastante diversificado. Comida deliciosa e farta, feita com produtos brasileiros, como macaxeira e queijo coalho. Ambiente climatizado. Preços justos. Abre de domingo a domingo, para almoço e jantar.

Gulliver Marrestaurante especializado em frutos do mar, mas também, com opções de carne, massa, frango, risotos. Ambiente sofisticado, de frente para o mar. Os pratos são fartos e custam de R$ 45,00 a R$ 99,00 – por pessoa. Abre para o almoço e jantar. Mas, no domingo, é só para o almoço.

Bar do Cuscuz – uma verdadeira festa, acho que podemos dizer assim. O restaurante é enorme, com vários ambientes, muita música, muito telão e movimento. Ambiente com decoração rústica, de frente para o mar, ele serve frutos do mar, carnes e, claro, o cuscuz. Tudo muito farto, animado e com preços justos.

Restaurante Mangai, em João Pessoa.
O Mangai é sempre cheio de gente, mas o atendimento é muito bom.
Restaurante Nau, em João Pessoa.
O Restaurante Nau é dos mesmos donos do Mangai e tem filiais em Natal e Brasília
Gulliver Mar, em João Pessoa
O cardápio do Gulliver oferece mais de 50 opções de pratos.
Bar do Cuscus, em João Pessoa
Bar do Cuscuz: para quem gosta de movimento

O que fazer em João Pessoa

João Pessoa é reconhecida pelas praias de areia branquinha, mar verde/azul e morninho. Praias urbanas ou mais afastadas, de mar calmo ou agitado, emolduradas por coqueiros ou falésias, são mais de 130 quilômetros de praia para você escolher. Das 5 às 8 horas, o trânsito na orla das praias de Cabo Branco, Tambaú e Manaíra é interditado e dá lugar a caminhadas, corridas e pedaladas.

Outro fato interessante que faz de João Pessoa uma cidade civilizada é que, na orla, está proibida a construção de prédios mais altos que 4 andares, para não prejudicar a ventilação da cidade. Assim, os prédios também não fazem sombra na areia, como acontece em várias cidades brasileiras. Abaixo, 8 das praias mais bonitas da Paraíba:

prédio da orla de Tambaú: 4 andares
Um dos prédios da orla de Tambaú: 4 andares

Praia de Cabo Branco

Praia tranquila, areia fofinha, mar calmo mas não tão verde assim, verdadeiro paraíso. O movimento é pequeno, uma vez que ela está mais afastada, quase na Ponta Seixas. Por estar na ponta, dá para ver a enseada que a praia forma. Ótima para caminhadas pela areia ou pelo calçadão, local de corridas e pedaladas, também.

Praia de Cabo Branco, em João Pessoa
Praia de Cabo Branco, a mais tranquila das praias urbanas

Praia de Tambaú

Essa praia é bem central e bastante frequentada pelos locais e visitantes. O mar verde, de poucas ondas, avança para a areia fofinha, onde é possível alugar cadeiras e guarda-sois. Vários restaurantes, bares e sorveterias se enfileiram ao longo da avenida. Logo cedo, as pessoas estão caminhando, pedalando ou correndo pelo calçadão. É de Tambaú, que saem os passeios para as piscinas naturais de Picãozinho, quando a maré está baixa. Para fazer os passeios, consulte a tábua de marés, na recepção do hotel.

Praia de Tambaú, em João Pessoa
Praia de Tambaú, a mais procurada pelos visitantes
Tambaú, em João Pessoa
O mar de Tambaú só tem marola e é morninho como poucos

Praia de Manaíra

A Praia de Manaíra fica entre Tambaú e Bessa, no charmoso bairro do mesmo nome. Trata-se de uma praia com mar calmo e verde. Ao longo do calçadão, onde os moradores fazem suas caminhadas, quiosques e coqueiros participam da paisagem. Vez por outra, e praia se torna imprópria para o banho. Por isso, não é tão frequentada quanto as outras.

Praia de Manaíra, em João Pessoa
A Praia de Manaíra, seu mar e seus coqueiros
Praia de Manaíra, em João Pessoa
O calçadão arborizado da Praia de Manaíra

Praia do Bessa

O Bessa é um bairro residencial que tem a praia como um dos seus maiores atrativos. Com o apelido de Caribessa, por causa das suas águas verdes e transparentes, a Praia do Bessa é uma ótima opção para quem procura tranquilidade. Não espere achar bares e restaurantes, música alta e agitação. Por isso, mesmo, ela é das melhores praias da cidade. No meu ranking de praia boa, ela ocupa um dos primeiros lugares.

Praia do Bessa, em João Pessoa
Na Praia do Bessa, acontece a desova de tartarugas. Nada como como vir ao mundo num paraíso como esse.

Praia de Camboinha e Areia Vermelha

Logo depois da Praia do Bessa, sem que você perceba, começa o município de Cabedelo, onde ficam as praias de Intermares, a preferida dos surfistas e, em seguida, a Praia de Campina, a Praia do Poço e a Praia de Camboinha, de onde saímos de barco para a Ilha de Areia Vermelha – um banco de areia que só aparece quando a maré baixa. O passeio custa 40 reais e dura de 2 a 3 horas.

Praia de Camboinha, em Cabedelo
A Praia de Camboinha, com seus coqueiros e mar de águas calmas
Praia de Camboinha, em Cabedelo
O Bar da Cibelly é a referência para os passeios de barcos para a Praia da Areia Vermelha.
Praia de Camboinha, em Cabedelo
É no Bar da Cibelly que você compra a bebida que quiser pra levar para a praia, numa caixa de isopor
Praia de Camboinha, em Cabedelo
Catamarãs como esses, que podem ser alugados, levam os visitantes para a ilha em 15 minutos ou menos.
Areia Vermelha, Paraíba
A Ilha de Areia Vermelha tem esse nome por causa da coloração da areia.

Praia de Coqueirinho

Já no município de Conde, a 20 minutos de carro de João Pessoa, Coqueirinho é uma das 8 praias que se estendem pelos 20 quilômetros da costa do município. Falésias com 30 metros de altura, coqueiral exuberante, mar verde e areia fina compõem o cenário paradisíaco que atrai moradores e visitantes e fazem desta praia uma das mais badaladas e visitadas do estado.

Praia de Coqueirinho, Conde, Paraíba
De longe, avistamos o mar de águas tranquilas e os coqueirais que adornam a praia.

Houve um tempo em que o acesso à Praia de Coqueirinho era bem difícil. Hoje, com a boa estrutura e o calçamentoCoqueirinho se tornou facilmente acessada.

Praia de Coqueirinho, Conde, Paraíba
O quiosque do Genildo foi o nosso escolhido para passar a manhã naquele pedaço de paraíso.

Praia do Amor

Ainda no município de Conde, ao sul de João Pessoa, outra praia se destaca e, no meu ranking de boas praias no Nordeste, ficou em primeiro lugar. Trata-se da Praia do Amor, de águas muito tranquilas, quentes e verdes.

Praia do Amor, no município de Conde, Paraíba
A tranquilidade da Praia do Amor é revigorante e relaxante

Para chegar à Praia do Amor, estando em João Pessoa, você segue pela Avenida Panorâmica, passa pela Ponta do Seixas e pega a rodovia estatual PB – 008, sentido sul. Com o aplicativo Waze, fica muito facinho. Chegando lá, você vai ter duas opções: à direita, você vai ter a praia mais deserta, sem estrutura, mas igualmente bonita.

Praia do Amor, em Conde, Paraíba
Nesse lado, o mar é mais agitado e o movimento é quase nenhum

Do lado esquerdo, numa espécie de praça, tem uma passagem estreita, por onde carros não passam. É por ela que você chega à melhor parte da Praia do Amor. Você caminha uns 50 metros e pronto. Logo vai ver a praia, os bares, mesinhas e guarda-sóis.

Praia do Amor, em Conde, Paraíba
Deixe o carro aí, nesse terreno, para ir à Praia do Amor,
Praia do Amor, em Conde, Paraíba
Num canto da rua, fica a passagem para a praia
Praia do Amor, em Conde, Paraíba
No final do caminho, o mar mais bonito do mundo espera pelo feliz visitante.
Praia do Amor, em Conde, Paraíba
Eu, feito pinto no lixo, fazendo o que eu mais gosto da vida

João Pessoa, além da praia

Nem só de praia vive João Pessoa… Fundada em 1585, sendo a terceira capital mais antiga do Brasil, a capital da Paraíba tem um pouco mais de 800 mil habitantes. Seu primeiro nome foi Cidade Real de Nossa Senhora das Neves – a padroeira. Depois, Filipeia. Em seguida, FrederikstadParahyba e, por fim, João Pessoa – para homenagear um político da terra, sobrinho de Epitácio Pessoa, um dos primeiros presidentes do Brasil.

João Pessoa, Paraíba
João Pessoa nasceu às margens do rio Sanhauá, foi fundada em 5 de agosto

João Pessoa é a terceira capital mais antiga do Brasil e seu acervo histórico-cultural é bastante significativo. O Centro Histórico de João Pessoa foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN -, abrange uma área de 370 mil metros quadrados e conta com mais de 700 edificações, além de ruas, praças e avenidas importantes na história da capital. Prepare-se para ver diferentes estilos de acordo com a época em que foram construídos os sobrados, praças, casarios e igrejas seculares.

Casinhas coloridas no Centro Histórico de João Pessoa
À noite, os sobrados coloridos da Praça Antenor Navarro funcionam como bares e restaurantes

Centro Cultural São Francisco

O seu roteiro pelo centro histórico pode começar pelo Centro Cultural São Francisco, que levou quase 200 anos para ficar pronto. As obras deste complexo barroco, o mais importante do estado, começaram em 1589, quando Portugal e Espanha estavam sob o domínio de Felipe II, e foram concluídas em 1788. Igreja, sacristia, pátios

Centro Cultural São Francisco, em João Pessoa, Paraíba
O Cruzeiro de pedra calcária e a Igreja de São Francisco ao fundo
Cruzeiro em frente à Igreja de São Francisco, em João Pessoa, Paraíba
Aos pés da cruz, águias de duas cabeças que simbolizam a união ibérica entre Portugal e Espanha

Visita Guiada

As edificações são cheias de simbologias. Por isso, acho que merece uma visita guiada para não perder detalhes importantes. A visita dura menos que uma hora e custa, apenas, 3 reais. A guia vai mostrar o claustro, a Igreja de Santo Antônio, a sacristia, com móveis de jacarandá do século 18 e piso original; a capela da Ordem Terceira de São Francisco e seu altar ricamente decorado – com ouro -, e o pátio com o relógio de sol.

Capela da Ordem Terceira de São Francisco, em João Pessoa, Paraíba
A capela da Ordem Terceira de São Francisco também é conhecida como capela dourada.
Centro Cultural São Francisco, em João Pessoa, Paraíba
O teto da igreja com pintura ilusionista que retrata a glorificação dos santos franciscanos
Centro Cultural São Francisco, em João Pessoa, Paraíba
Os azulejos portugueses são originais
Coro da Igreja de São Francisco, em João Pessoa, Paraíba.
O coro ficava nesse mezanino, no fundo da igreja e não era visto pelos frequentadores da igreja
Sacristia da Igreja de São Francisco, em João Pessoa, Paraíba.
A sacristia com seus móveis em jacarandá e teto original
Capela da Ordem Terceira no Centro Cultural São Francisco, em João Pessoa, Paraíba
A Capela Dourada, do século 16, com talhas revestidas com ouro e Santo Antônio no altar.
João Pessoa, Paraíba
O claustro foi terminado em torno de 1730
João Pessoa, Paraíba
No pátio, um relógio de sol esculpido em pedra.

Catedral Basílica

Ainda no Centro Histórico da cidade, no Largo da Borborema, fica a primeira igreja a ser construída em João Pessoa, ela foi dedicada à padroeira da cidade, Nossa Senhora das Neves. Desde 1586, vem sendo reconstruída e reformada, aos poucos, em função das dificuldades financeiras. Hoje, ela já não se parece com o antigo projeto. No seu interior, vários elementos são banhados a ouro, mas a sua riqueza consiste nos símbolos basilicais – a sobrinha e o brasão, que identificam a igreja como basílica.

Catedral de João Pessoa, na Paraíba
Na fachada, em meio às 2 torres, a imagem do nicho é de Nossa Senhora das Graças

Igreja e Convento Nossa Senhora do Carmo

Na verdade, trata-se de um conjunto arquitetônico formado pela igreja e pelo Palácio Episcopal, do século 16, e pela Igreja de Santa Teresa de Jesus da Ordem Terceira do Carmo, do século 18. Construído pelos carmelitas, esse conjunto também fica no Centro Histórico de João Pessoa e é tombado pelo IPHAN. Infelizmente, com a invasão holandesa, muitos documentos se perderam e a história desse conjunto ficou prejudicada. Só nos resta reverenciar a beleza e zelar pela preservação.

Centro Histórico de João Pessoa, Paraíba
No fim da rua, o Convento e Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Hotel Globo

Ainda no Centro Histórico, o Hotel Globo é parte da história da cidade. No passado, era considerado um hotel de luxo, sendo frequentado pela alta sociedade de João Pessoa, que costumava ir até lá para tomar chá. Hoje, é uma lembrança dessa época, foi transformado em museu e resguarda o mobiliário e peças de Art Déco do hotel. O Hotel Globo também é uma referência para ver o por do sol, além do Rio Sanhauá.

Hotel Globo, em João Pessoa, Paraíba
O Hotel Globo foi construído em 1929 pelo hoteleiro Henriques Siqueira (“Seu” Marinheiro).

Casa dos Azulejos

Também conhecida como Casarão de Azulejos, esta casa do século 19, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba – IPHAEP -, em 1980, se destaca no Centro Histórico de João Pessoa. Revestida por azulejos portugueses, trazidos da cidade do Porto, em Portugal, ela foi residência do comendador Antônio Santos Coelho. Depois, transformou-se em escola e em repartição pública.

Casa dos Azulejos, em João Pessoa, Paraíba
O Casarão é um belo exemplar da arquitetura da época.

Casa do Artista Popular

Para conhecer o diversificado artesanato paraibano, vale dar uma passadinha nessa casa linda, onde funciona um espaço de exposição das obras dos artistas. São peças em couro, argila, madeira e outros materiais que retratam a criatividade do povo paraibano.

Casa do Artista Popular, em João Pessoa, Paraíba
A Casa do Artista Popular, no Centro Histórico de João Pessoa, é pura inspiração

O Centro Histórico de João Pessoa é rico. São vários os lugares que merecem uma visita. Prepare-se para bater perna e conhecer a Casa da Pólvora, construída em 1710, para armazenar as armas e munições da Capitania; a Academia Paraibana de Letras, fundada em 1941, pelo professor Coriolano de Medeiros, com o propósito de “perpetuar as tradições literárias da Paraíba” e mais uma série de locais históricos, como por exemplo, a Praça João Pessoa, também conhecida por Praça dos Três Poderes, que abriga o mausoléu do político João Pessoa.

Cada da Pólvora, em João Pessoa, Paraíba
A Casa da Pólvora foi construída num local estratégico para servir também como posto de observação.
Academia paraibana de Letras, em João Pessoa, Paraíba
A APL abriga o o Memorial Augusto dos Anjos, poeta paraibano e patrono da cadeira número 1
Praça João Pessoa, em João Pessoa, Paraíba
Inaugurada em 1803, a praça tinha o nome de Comendador Felizardo. Foto: Gilberto Firmino, site da prefeitura.

Ainda no Centro Histórico

Não saia do Centro Histórico sem dar uma passadinha por lugares importantes como o Mosteiro de São Bento, a Igreja Nossa Senhora da Misericórdia, a Praça Vidal de Negreiros, o Pátio de São Pedro, com a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves, Academia de Comércio Epitácio Pessoa, o Paço Municipal, a Villa Sanhauá, o Palácio do Governo, o Tribunal de Justiça e a Praça Barão de Rio Branco. E se você pensa que é tudo, está enganado. Ainda tem o Theatro Santa Roza, o casario do Largo de São Frei Pedro Gonçalves e mais algumas centenas de pontos de interesse, como a Lagoa Solon de Lucena.

Lagoa Solon de Lucena, em João Pessoa, Paraíba
Cercada por palmeiras imperiais, a Lagoa fica bem no centro da cidade e é palco de acontecimentos importantes
Theatro Santa Roza em João Pessoa, Paraíba
O theatro foi inaugurado em 1889 e, de lá para cá, foi palco de importantes decisões no estado. Foto: Pixabay

Saindo do Centro Histórico

A caminho do Farol do Cabo Branco, a gente passa pela Estação Cabo Branco – um espaço projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, dedicado à arte, cultura e ciências. O prédio é um verdadeiro parque de diversões para gente de todas as idades, com oficinas, anfiteatro, auditório, parque de brinquedos educativos, espaço para exposições e cafeteria.

Estação Cabo Branco, em João Pessoa, Paraíba
São mais de 8 mil metros de área construída dedicados ao estímulo da criatividade.

Farol do Cabo Branco

Este é o ponto mais oriental da América do Sul, onde o sol nasce primeiro. O farol é um dos cartões postais da cidade e recebe milhares de visitantes por ano. Totalmente diferente de todos os faróis que a gente já viu, ele se localiza numa falésia, na Ponta do Seixas. Para chegar lá, a gente passa por um parque muito utilizado pelos moradores da cidade para piqueniques.

Farol de Cabo Branco, em João Pessoa, Paraíba
Inaugurado em 1972, a ideia era representar o sisal, símbolo de uma fase boa na economia do estado
Farol de Cabo Branco, em João Pessoa, Paraíba
No parque, estão espalhados vários personagens, a exemplo de um vaqueiro, Roberto Carlos e Reginaldo Rossi.
Praia da Ponta do Seixas, em João Pessoa, Paraíba
Lá embaixo, o mar verde e transparente emoldura o farol – é a praia da Ponta do Seixas

E  para finalizar…

A sugestão é terminar, pelo menos, uma das suas tardes em João Pessoa, observando o por do sol, na Praia do Jacaré, ao som do Bolero de Ravel, com Jurandy do Sax. A gente pode assistir ao espetáculo da mureta ou pegar um passeio em um dos barcos que saem, diariamente, às 4 da tarde. O por do sol em João Pessoa acontece por volta das 17:30 e é um programa obrigatório.

Por do Sol em João Pessoa, Paraíba
O Rio paraíba é um dos cenários preferidos para assistir ao por do sol em João Pessoa

Os paraibanos fizeram desse por do sol um ritual. Estamos todos convidados a apreciá-lo. Assim como, também, curtir as praias, a história e a culinária desse pedacinho do Brasil.

20 comentários sobre “João Pessoa: o que fazer na capital paraibana”

  1. Passei um Réveillon em João Pessoa e adorei. Vi muito do que falou aqui. À praia de Coqueirinho é linda . Parabéns mais uma vez por nós fornecer tantas informações úteis.

    1. Obrigada, Lea! João Pessoa, realmente, é linda! Já tinha ido 2 vezes, mas não com esse olhar. dessa vez, me encantei com a cidade, de verdade.
      Um beijo grande
      sonia.

  2. Amei ,Sonia! Voce conseguiu mostrar João Pessoa como ela é, através do olhar de uma ” nordestina nata”! Está de parabéns. Essa é a nossa João Pessoa ,Paraíba !

    1. Lúcia, tentei descrever da melhor forma possível. Mas, João Pessoa é muito mais do que isso. Quero voltar mais vezes e aproveitar as delícias que ela oferece.
      obrigada pelas palavras generosas.
      Um grande abraço,
      sonia.

  3. Sou mineira e moro em João Pessoa há 35 anos. Amo esta cidade como se nela houvesse nascido. Você resumiu bem o sentimento de quem nela vive e descreveu com maestria cada pedacinho que a compõe. Eu costumo dizer que quem toma a água de João Pessoa não quer mais ir embora. Sejam todos muito bem vindos a este pedacinho do paraíso criado por Deus!

    1. Marisa, e você imagine que eu fiquei todo o tempo me policiando para não elogiar demais e parecer pouco jornalístico. Mas eu me emocionei muito com João Pessoa. Deu vontade ficar aí para sempre. Depois, me peguei pensando…vocês, felizes moradores, devem ser pessoas incríveis para esse merecimento. Parabéns.
      Obrigada pelas palavras e volte sempre por aqui.
      Um grande abraço,
      sonia.

  4. Maravilha, Sônia. Conheço João Pessoa, mas já descobri, com suas dicas, vários outros pontos da cidade e arredores a visitar

    1. Que legal, Rosina!
      Dessa vez, fui com vontade de descobrir as coisas! Quero voltar mais vezes, pois tem muito mais para ver!
      obrigada.
      Beijo grande,
      sonia.

  5. Belíssimo roteiro turístico. Poderia explorar, também, as praias do litoral norte e conhecer o forte Santa Catarina, fazer a travessia para Costinha e dar um passeio em ardia vermelha.

    1. José, o que me faltou foi tempo. Tive muita vontade de ir para o litoral norte, todo mundo me falou sobre o Forte de Santa Catarina.
      Mas, no próximo ano, eu volto a João Pessoa e posto aqui.
      Muito obrigada pela sua visita e pela sugestão.
      Um grande abraço
      sonia.

  6. Li tudo devagar e com bastante atenção!
    Quando sai o próximo voo?
    Parabéns pela matéria!

    1. Valéria querida, obrigada pela visita! E pelas palavras!
      Um beijo bem grande,
      sonia.

  7. Ah, que lugar lindo. Suas dicas são ótimas, Sônia! 🥰

    1. Obrigada, Graziela!
      João Pessoa é pura inspiração!
      Beijão,
      sonia.

  8. Estava em dúvida se seguiria de Recife até João Pessoa nestas férias, mas com dicas tão bem detalhadas e com a riqueza de lugares e praias paradisíacas, certamente estarei aí. Parabéns!

    1. Zilda, João Pessoa é um destino maravilhoso! Vocês vão adorar!
      Nós ficamos encantados e, no próximo ano, vamos voltar!
      Beijo e obrigada pela visita!
      sonia

  9. Valeu, Sônia! É gratificante passear em João Pessoa.

    1. Toinho, cidade linda, né? Nós amamos!
      Um beijo e obrigada,
      sonia.

  10. Achei fantástica esta reportagem sobre João Pessoa e certamente outros destinos encontrarei com o mesmo brilhantismo. Já sei onde escolher minhas férias. Obrigado pelas publicações.

    1. Luís,
      Nós que agradecemos as palavras generosas.
      Seja, sempre, bem-vindo ao nosso blog!
      Feliz ano novo para você e muito obrigada.
      Um grande braço,
      sonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =