Santa Sofia

Istambul: 10 motivos para visitar a maior cidade da Turquia

Com quase 15 milhões de habitantes, Istambul, a maior cidade da Turquia, é a melhor porta de entrada desse país que tem um pé no ocidente e outro no oriente, entre a Europa e a Ásia. Capital de três impérios – bizantino, romano e otomano – a história da antiga Constantinopla está impregnada nas ruas da cidade. Assim como as cores, os aromas e os sabores desse país.

ruas de Istambul
Andar pelas ruas de Istambul é um grande prazer

Istambul está cheia atrações. Há muito o que fazer e descobrir ao andar pelas ruas da cidade. Nesse post, você vai encontrar 10 razões para atravessar o oceano e se apaixonar, definitivamente, por esse pedacinho do planeta.

O que ver em Istambul:

Bater perna é um programa essencial em qualquer parte do mundo. Sair sem destino, descobrindo ruas, praças, monumentos, traçando um roteiro próprio, a gente consegue ir além das sugestões de guias e panfletos. Em Istambul, essa descoberta é ainda mais especial.

1. Santa Sofia

Símbolo de Constantinopla, a Basílica Santa Sofia foi construída de 532 a 537, por Justiniano. Em 1453, tomada pelos otomanos, tornou-se uma mesquita e, em 1935, Atatürk, um herói nacional, transformou-a em museu. A estrutura é gigantesca e por muito tempo ela foi a maior igreja do mundo.

Santa Sofia em Istambul
A Santa Sofia é símbolo da Turquia

A Santa Sofia, que hoje é um museu, fica no ponto mais alto de Istambul e é um dos cartões postais da cidade. A cúpula, com mais de 30 metros de diâmetro e seus 4 minaretes são visto de longe. Por dentro, a Santa Sofia impressiona. A sala principal tem 70 X 74 metros ornamentados com colunas, lustres, mosaicos que, certamente, vão tirar o seu fôlego.

interior da Santa Sofia, em Istambul
O grandioso interior da Santa Sofia
Istambul-mosaico
Uma das preciosidades da Santa Sofia são os mosaicos.

Para conhecer a Santa Sofia:

Adultos pagam 40 liras (R$ 27,09) e, para menores de 12 anos, é gratuito. De 15 de abril a 30 de outubro, está aberta das 9 às 19 horas. De 01 de novembro a 14 de abril, das 9 às 17 horas – todos os dias.

2. Palácio Topkapi

Construído em 1459, o Palácio Topkapi foi a residência de sultões otomanos, durante 4 séculos. Foi ampliado várias vezes por diversos governantes, até que, em 1856, o Sultão Abdumecid se transferiu para o Dolmabhçe, um palácio de estilo mais ocidental.

Fila para o Palácio Topkapi
A fila para a entrada no Palácio Topkapi é grande, mas flui.

O Topkapi tem 700 mil metros quadrados: sala de armas, estábulos reais, quiosque, harém, pavilhões, pátios, jardins com vista para o mar, tudo muito bonito e grandioso. Para ver tudo, a gente anda bastante. Vá com disposição, uma roupa confortável e calce um tênis.

para conhecer o Palácio Topkapi
Em cada pavilhão, fila para conhecer as maravilhas do Palácio Topkapi
O Pavilhão de Verão, no Palácio Topkapi, em Istambul
O Pavilhão de Verão
O Bósforo visto do Palácio Topkapi
O Bósforo visto do Palácio Topkapi

O acervo do palácio, acumulado ao longo de 500 anos, abriga prataria, joias, tapetes, relógios, objetos de cerâmica, além de um tesouro composto de preciosidades como uma adaga cravejada de pedras preciosas, uma armadura de diamantes, um diamante de 86 quilates e outras joias.

Trono de ouro e pedras preciosas, no Palácio Topkapi, em Istambul
Trono de ouro e pedras preciosas
O diamante incrustado de pedras preciosas, no Palácio Topkapi, em Istambul
O diamante incrustado de pedras preciosas

O harém do Sultão é a cereja do bolo. É lá que ficavam, não só as concubinas, mas a mãe, os irmãos e os filhos do sultão. Para acomodar todo esse povo, são mais de 400 quartos, sendo que a mãe do sultão ocupava uma área especial. Ela tinha poder sobre todas as mulheres do harém.

Palácio Topkapi, em Istambul
Cada aposento era ricamente decorado para receber os moradores ilustres
quiosque de Bagdá, no Palácio Topkapi, em Istambul
Nesta ala, janelas e portas são cobertas com madrepérola e marfim.

Para visitar o Palácio Topkapi:

O ingresso custa 60 liras (R$ 40,64), além de 35 (R$ 23,71) para ver o harém. De quarta à segunda, das 9 às 17 horas. De abril a outubro, até as 19 h. Fechado às terças-feiras.

3. Mesquita Azul

A Mesquita Azul, Sultanahmed Camii, em turco, foi inaugurada em 1617 e é a mesquita mais importante de Istambul. Embora, aparentemente, seja do tamanho da Santa Sofia, na verdade, ela é a metade. A cúpula central tem 23 metros de diâmetro e 43 de altura. Ela se chama Mesquita Azul porque a cúpula é adornada por mais de 20 mil azulejos azuis, oriundos da cidade de Iznik.

O pátio interno da Mesquita Azul, em Istambul
O pátio interno da Mesquita Azul
Mesquita Azul em Istambul
Os azulejos azuis que dão nome à mesquita
Istambul-Mesquita-Azul-cúpula
Cores e design em harmonia, sem exageros

A Mesquita é iluminada por mais de 200 vitrais, além dos lustres enormes pendurados no teto. Como os muçulmanos não cultuam imagens, não há santos ou outras figuras no interior da mesquita. A beleza está nos azulejos elaborados, dos lustres gigantescos e nos vitrais coloridos que ganham vida quando bate o sol.

Lustres e vitrais iluminam o interior da Mesquita Azul
Lustres e vitrais iluminam o interior da mesquita
Istambul-Mesquita-Azul-azulejos-e-vitrais
Azulejos e vitrais que dão beleza à Mesquita Azul

Para entrar na Mesquita Azul, assim como em todas as mesquitas da cidade, você deve estar com a roupa apropriada e tirar os sapatos antes de entrar. As mulheres precisam cobrir ombros e cabelos. Caso você vá desprevenido(a), os funcionários emprestam uma canga para cobrir o que deve ser coberto.

Istambul-Mesquita-Azul-casal-tira-sapatos
Casal se prepara para visitar a Mesquita Azul

Para visitar a Mesquita Azul: a entrada é gratuita. E ela está aberta todos os dias, das 9 às 19 horas. Só fecha para as orações.

4. Cisterna da Basílica

A Cisterna da Basílica é apenas uma das muitas cisternas espalhadas por Istambul. Mas ela, que também é conhecida por “Palácio Submerso”, é a maior da cidade. As cisternas foram construídas para armazenar água, caso Istambul sofresse algum ataque. Assim, a população não sofreria com a falta de água.

Cisterna em Istambul, Turquia
A entrada na Cisterna Basílica é concorrida, mas nada que atrapalhe a visita.

A Cisterna da Basílica foi construída entre 527 e 565, embaixo de uma basílica, para abastecer o Palácio Bizantino, nos tempos de Justiniano I. Daí, o nome…

cisterna da Basílica
A iluminação dá um clima ao interior da cisterna

Na cisterna, que mede 140 x 70 metros, cabem 100 mil metros cúbicos de água. As 336 colunas coríntias e dóricas, com 9 metros de altura foram aproveitadas de antigas edificações. Por isso, elas não são, exatamente, iguais. Apenas duas tem uma cabeça de Medusa, aquele personagem da mitologia que transformava em pedra, todos os que olhassem para ela. Em 1987, a cisterna foi restaurada pela prefeitura de Istambul.

Cisterna da Basílica, em Istambul
As colunas da Cisterna da Basílica, que abastecia os prédios mais importantes do Império Bizantino
Istambul-Medusa
A Medusa de cabeça para baixo. Ninguém sabe dizer o motivo

Por dentro, a Cisterna da Basílica é escura e fresquinha. Para caminhar por ela, a gente pisa em passarelas, colocadas ali, no final do século 20. Antigamente, o trajeto era feito de barco.

Istambul-Cisterna-da-Basílica
Além da Cisterna da Basílica, apenas, uma outra está aberta ao público

Para visitar a Cisterna da Basílica: ela fica pertinho da Santa Sofia e está aberta todos os dias, das 9 às 17h30. O ingresso custa 20 liras (R$ 13,55).

5. Torre de Galata

Esta é uma das torres mais antigas do mundo. Do alto da Torre de Galata é possível ter uma das melhores vistas de Istambul. Em 528, quando foi construída, ela era de madeira e servia de farol. Em 1348, a torre foi reconstruída e ganhou o nome de Torre de Cristo.

Istambul-torre-de-galata
A torre de Galata sobreviveu a vários terremotos

A Torre de Gálata tem 61 metros de altura. A base da torre tem um diâmetro de 16,5 metros no exterior e, no interior, 8,9 metros – essa diferença indica que a parede tem uma espessura de 3,7 metros na base e 20 centímetros na parte superior. Lá em cima, além de uma vista de 360 graus espetacular, tem um restaurante para almoços e jantares. Uma escada e um elevador levam o visitante até o topo.

Torre de Galata
Da Torre de Galata, a vista de cidade

Para visitar a Torre de Galata: ela fica na Büyük Hendek Cd, Bereketzade e está aberta das 9 às 18 horas, de segunda a segunda. O ingresso custa 9 liras (R$ 9,06).

6. Banhos turcos – Hamman

Quem vai a Istambul, não deixa de experimentar os tradicionais banhos turcos, que são oferecidos em espaços chamados Hamman. O hamman é quase um spa ou uma espécie de termas romanas, onde o relaxamento é tão importante quanto o banho. Trata-se de um ritual. A pessoa entra, ganha um roupão e segue para as várias etapas: banho, esfoliação, massagens… Geralmente, são ótimas instalações e o serviço é impecável.

10 motivos para visitar Istambul - AĞA HAMAMI
A entrada do AĞA HAMAMI é a porta do paraíso de quem gosta dos banhos turcos. Foto do site.

Em Istambul existem centenas de banhos espalhados pela cidade para atender, tanto à população quanto aos turistas ávidos pela experiência. Os mais tradicionais são o Aga Hamami, perto da Praça Taksim, e o Hamam de Suleymaniye, que recebe homens e mulheres. O valor do banho turco completo fica em torno de 60 euros (R$ 265, 60). E eles costumam funcionar das 6 da manhã à meia-noite.

7. Dervixes Rodopiantes – Mevlevi

Os Dervixes Rodopiantes são homens adeptos do sufismo, que numa cerimônia chamada Sema, rodopiam ao som de uma música, vestidos com uma saia rodada e branca – seja por devoção ou simplesmente uma apresentação para turistas. Assistir a uma dessas cerimônias é importante para experiência no país ser completa.

A cerimônia acontece desde 1273, quando o fundador da Ordem dos Dervixes morreu. Ele se chamava Mevlâna Celaleddin Rumi e era um sufi místico, um dos mais importantes poetas do país, um pensador que acreditava que a música e a dança eram capazes de elevar o homem e curar as suas dores. 

Derviches rodopiantes em Istambul, Turquia
Girando, os derviches acreditam que ficam mais próximos de Alá

A cerimônia tem uma duração de 45 a 60 minutos e é dividida em sete partes, todas com um significado. Totalmente concentrados, os dervixes começam devagar, com uma mão para cima e outra para baixo – uma simbologia que significa a ligação entre o céu e a terra. Aos poucos, eles aceleram e parecem estar em transe. A ampla saia branca simboliza a mortalha do ego, o chapéu cônico representa a lápide do ego.

Para assistir a uma dessas cerimônias, há vários lugares em Istambul. Mas, nós assistimos no Café Mesale Restaurante, no Arasta Bazar, um centro comercial do século 17, ao lado da Mesquita Azul. O restaurante é aberto todas as noites e dá para ver o espetáculo mesmo sem entrar.

Derviches rodopiantes, no restaurante Mesale, em Istambul, Turquia
Mesale: nesse restaurante, tem show dos derviches rodopiantes para locais e turistas.
O Mesale visto por dentro
O Mesale visto por dentro: aconchegante e confortável para ver o show.

8. Museus

Os museus são uma boa estratégia para conhecer um pouco mais uma cidade ou país. Os costumes, a cultura, a história, o motivo de todas as coisas. E um dos mais importantes em Istambul e no mundo é o Museu Arqueológico.  Na verdade, Museus Arqueológicos.

O primeiro museu do país foi fundado em 1891
O primeiro museu do país foi fundado em 1891, pelo pintor e arqueólogo turco, Osman Hamdi. Foto wikipedia

Ele é divido em três: Museu Arqueológico, Museu do Quiosque Esmaltado e o Museu de Antiguidades Orientais. Todos eles dedicados aos hábitos e costumes de quem viveu na cidade. Nesse complexo está o sarcófago de Alexandre, o Grande (mas, vazio), de 310 AC.

Sarcófago de Alexandre
O sarcófago de Alexandre é, apenas, uma das muitas preciosidades do museu. Foto: wikipedia

Para visitar o Museu Arqueológico, siga para o Palácio Topkapi. Fica nas imediações.  Ele está aberto das 9 às 19 horas, de terça a domingo. O ingresso custa 20 liras (R$ 13,55).

Mas, existem outros museus, igualmente interessantes, pra você visitar em Istambul: Museu de Arte turca e IslâmicaMuseu de Atatük, Museu de Arte Moderna, Museu do Tapete, Museu da Ciência e da Tecnologia, Museu da Imprensa, Museu da CaligrafiaMuseu do Brinquedo, Museu MilitarMuseu do Mosaico e outros mais. Programe-se para visitar, pelo menos um, entre os 64 museus da cidade.

9. Passeio de barco pelo Bósforo

Um passeio pelo Estreito de  Bósforo é programa obrigatório em Istambul. O turista escolhe entre as balsas ou os barcos particulares para observar as melhores paisagens da cidade.

Estreito de Bósforo
O Bósforo liga o mar Negro ao mar de Marmara e marca o limite dos continentes asiático e europeu, na Turquia

Várias empresas, ao longo da costa, oferecem diferentes passeios pelo Bósforo. Mas, a maioria está nas imediações da Torre de Gálata, perto da estação de tram Eminönü. Chegando ali, os visitantes logo são abordados por alguém para fazer o Bosphorus tour. O ideal é escolher as empresas mais antigas, mais tradicionais para fazer os passeios de um dia inteiro, com parada para almoço ou o short Bosphorus tour, com duas horas de duração. Ao longo do trajeto, mansões, museus e edifícios históricos às margens do estreito.

O Bósforo
O Bósforo tem um comprimento de aproximadamente 30 km e uma largura de 550 a 3000 m.
Palácio Dolmabahçe construído no século 19
Às margens do Bósforo estão construções históricas como o Palácio Dolmabahçe construído no século 19

10. Mercados e culinária

Na minha opinião, uma viagem não é completa quando não visitamos o mercado da cidade. E posso dizer que o Grand Bazar é um retrato de Istambul. Construído em 1455, ele é o mais antigo da cidade, tem 21 portões, abrange 58 ruas e tem mais de 4000 barracas, que vendem de tudo: tapetes, artesanato, toalhas de mesa, antiguidades, almofadas, lustres, tecidos, bijuterias, joias, roupas, artigos de couro, louça, doces e tudo o mais que você imaginar de lindo. Ele fica aberto de segunda a sábado, das 8:30 às 19h. Entrada gratuita.

A entrada do Grand Bazaar, em Istambul, Turquia.
A entrada é discreta, mas todo mundo sabe onde fica
O Grand Bazar - em Istambul, Turquia
O Grand Bazar é um ícone do país
Grand Bazar, em Istambul, Turquia
Impossível ficar indiferente a tanta beleza reunida num só lugar
cores e luzes do Grand Bazar, em Istambul, Turquia
A beleza está nas cores, nas luzes e na simpatia dos turcos

O mercado tem 45 mil metros quadrados e 20 mil pessoas trabalham nele. Por dia, uma média de 500 pessoas visitam o Grand Bazar.

Este senhor, muito simpático, em ótimo português, vende tapetes no Grand Bazar
Este senhor, muito simpático, em ótimo português, vende tapetes no Grand Bazar

Também conhecido como Bazar Egípcio, o Bazar das Especiarias foi construído em 1663. Nesse bazar, os preços são mais em conta e há muita gente que prefere comprar nele. Mas, quem vai a Istambul, precisa conhecer os dois. O Mercado de Especiarias está aberto todos os dias da semana, das 8h30 às 19h horas.

o Bazar Egípcio é uma ótima opção para a compra de lembrancinhas
Bazar Egípcio ou de especiarias
Todo o artesanato turco é bonito. Não vale voltar sem alguma coisa de lá.

Culinária turca
Fiz uma lista de dez motivos para conhecer Istambul, mas as atrações turcas vão muito além, extrapolam a lista e muito. A culinária, por exemplo, eu não poderia deixar de fora. Não sou uma profunda conhecedora, mas vou citar algumas que conheço e que a gente comeu por lá. A lista de especialidades turcas é enorme. Comer na Turquia é uma experiência das mais prazerosas. Kebabs, peixes, pães e doces, além do vinhos, muitos deles, premiados, e os queijos…

Charutinhos feito com folha de uva
Charutinhos feito com folha de uva
Os pães deliciosos, levinhos...
Os pães deliciosos, levinhos…
Babaganuche com bastante azeite
Homus Tahine com bastante azeite
Ayran
Ayran, feito no liquidificador, com iogurte, água e uma pitada de sal

De sobremesa, as mais populares são a Baklava e as Delícias Turcas. A Baklava é feita com nozes, xarope e massa filo. Delícias Turcas (Lokum) é um doce turco feito de açúcar que se aromatiza com água de rosas ou limão. Mas ele também é feito com frutos secos picados como nozes, avelãs ou pistache Ele foi criado no século 17, por um confeiteiro da corte imperial e se tornou o doce mais popular da Turquia.

Baklava: pra deixar todo mundo com água na boca.
Baklava: pra deixar todo mundo com água na boca
Lokum é uma espécie de geleia cortada em cubos
Lokum é uma espécie de geleia cortada em cubos, de várias cores e coberta com açúcar de confeiteiro.

Para beber, eles têm os chás, o café turco, a cerveja Efes e o Raki, consumido com água gelada. Trata-se da bebida nacional turca, a bebida dos brindes, das festas, dos encontros. Mas é também popular na Grécia, na Albânia e outros países.

o rakı é a bebida nacional e é tradicionalmente consumido com água gelada
O Rakı é feito com aguardente de uva e seu teor alcoólico é de 40 a 50%

Onde se hospedar

Escolhemos o bairro de Sultanahmet, que fica no centro histórico e reúne grande parte das atrações de Istambul. Nosso hotel foi o Grand Naki Hotel, um 3 estrelas bem simpático, a poucos minutos do Palácio Topkapi, Hagia Sophia, Mesquita Azul e Cisterna da Basílica. Mas os hotéis estão espalhados por vários bairros.

Documentação necessária

Os cidadãos brasileiros não precisam de visto, desde que fiquem no país, menos de 90 dias. E o passaporte deve ter, pelos menos, 6 meses de validade.

Língua:

Este não chega a ser um problema. O idioma oficial é o turco, mas grande parte da população fala inglês.

Moeda

A moeda local é a Lira Turca, disponível em moedas de 1, 5, 10, 25, 50 kurus e 1 lira, e notas de 5, 10, 20, 50, 100 e 200 liras. Cotação: 1 dólar custa 5,25 liras.

Como chegar:

Do Brasil, várias companhias aéreas voam para Istambul: de São Paulo, a Turkish Airlines oferecem quatro voos diretos, por semana. São 12 horas e meia de viagem numa das melhores companhias aéreas do mundo. Voar com a Tuskish Airlines não chega a ser um sacrifício.

Aeroportos de Istambul

São dois, os aeroportos internacionais em Istambul. Mas, o que nos interessa é o Atarürk, que está a 28 quilômetros do centro da cidade. É nesse aeroporto que chegam os voos da Turkish.

Como sair do aeroporto para o centro da cidade

Metrô: esta é a forma mais barata – 5 liras + R$ 3,44 – e a duração do trajeto é em torno de 50 minutos.

Ônibus: o ticket custa 12 libras – R$ 8,13 – para chegar à Praça Taksim, com algumas paradas pelo caminho.

Táxi: o valor médio da corrida até o centro da cidade é em torno de 45 libras – R$ 30,48 – e o trajeto dura em torno de 25 minutos. Entre meia noite e 6 da manhã, o valor aumenta 50%.

Transfer: esta é a melhor opção e você pode contratar no hotel que vai se hospedar ou numa agência de viagens. Nós pagamos 22 euros – R$ 97,39 – pelo transfer.

Quando ir

Nós fomos em outubro e achei a temperatura perfeita. Durante o dia, uns 20 graus. À noite, a temperatura caía e ficava em torno dos 15 graus. Mas, acredito que em todas as estações, Istambul tenha seus encantos, principalmente, no verão e na primavera. A opção deve ser feita de acordo com o que o visitante procura.

Quanto tempo ficar

Quanto mais tempo ficar, melhor. A Turquia é um país riquíssimo em história, monumentos, gastronomia, música e costumes muito diferentes. Uma semana é suficiente para se ter uma ideia de Istambul, que não é capital do país, e sim, Ancara. Mas existem outras cidades turcas que precisam ser conhecidas.

Compras em Istambul

Quem gosta de comprar, vai se esbaldar em Istambul. Os tapetes, de todos os preços, são os produtos típicos do país, mas lembre-se de pedir a nota fiscal, para passar pela alfândega. O artesanato é rico e colorido. Há muito o que comprar observando a cultura, a religiosidade e os costumes da Turquia.

Os ícones são encontrados nas lojinhas dos museus
Os ícones são encontrados nas lojinhas dos museus

Os doces também são uma opção e as lojas de doces de Istambul estão espalhadas pelos mercados e por toda a cidade. Assim como as lojas de especiarias – de açafrão iraniano a cardamomo, passando por curry, cúrcuma, mirra, ervas e pimentas.

Especiarias
O cheiro das lojas de especiarias atrai locais e turistas
chocolate
Os chocolates são irresistíveis

As ruas de Istambul

Na rua, barracas e feirinhas oferecem frutas para fazer suco na hora e um dos mais consumidos é o de romã. Outros produtos facilmente encontrados são os chás, as frutas secas e os queijos. Mas é nos mercados que você vai encontrar o melhor do artesanato turco. 

romãs
meu suco preferido durante nossos dias em Istambul: romã.

Depois de uma viagem a Istambul, impossível voltar sem lembranças inesquecíveis dessa cidade, desse país e sua cultura. É tudo lindo e colorido, as ruas têm aromas e as pessoas esbanjam simpatia. E o que dizer da culinária? Meu Deus… e ainda tem a música, a dança, as tradições…é muita coisa para constatar, para assimilar. Depois de uma viagem a Istambul, a gente volta agradecida, se sentindo abençoada por ter estado ali, do outro lado do mundo, naquelas paisagens que só vimos nos livros de história.

12 comentários sobre “Istambul: 10 motivos para visitar a maior cidade da Turquia”

  1. Hola Sonia!! Como siempre muy interesante racconto sobre Estambul. Justo no conozco Turquía y hace poco estuvimos manejando la posibilidad de viajar hasta ahí con Hrecia.
    Abrazo! Elisa de Uy

    1. Que legal, Elisa! A Turquia é um dos países mais incríveis que já conheci. Considere essa possibilidade!!!!você vai amar!
      Beijo grande e obrigada pela visita,
      sonia

  2. Oi amiga!
    Estive em Istambul e amei, fui em variados lugares que vc falou, mas não tomei o banho turco e não vi a dança. Adorei a comida e me esbaldei no suco de romã.
    Voltarei com certeza!
    Beijos

    1. Que legal, Lívia!
      precisa voltar lá para conferir o resto!!!
      Minha amiga querida, muito obrigada por esse retorno!
      Um grande beijo!
      sonia.

  3. Soninha querida..
    Fiquei encantada com a Turquia, a sua forma de relatar as coisas maravilhosas da cidade nos leva a viajar junto com você. Adorei! Beijos.

    1. Dra. Angélica, obrigada pelas palavras!
      Istambul é uma cidade inspiradora!!! Fico feliz quando recebo um retorno como esse…
      Um grande abraço e obrigada mais uma vez,
      sonia.

  4. Tudo lindo, estou encantada! Fui lendo e me transportando para cada lugar desses com seus sabores, cores e paisagens. Lindoooo

    1. Obrigada, Claudia!
      A Turquia é um país maravilhoso! Um dia, vamos voltar lá!
      Beijo,
      sonia.

    1. Obrigada, Sylvinha! Pela visita e pelo comentário generoso.
      Grande beijo,
      sonia.

  5. Fico apaixonada por todos os lugares que vc vai, pois sua descrição é fantástica, me transporto para cada local que vc mostra……adoro.
    Amiga, mais uma para conhecer…
    bjos.

    1. Querida!!! Muito obrigada, sempre, por esse apoio!
      obrigada pelas visitas e pelas palavras generosas!
      Grande beijo
      sonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *