Bath – elegante e aristocrática

À margens do Rio Avon, pouco mais de cem quilômetros de Londres, capital da Inglaterra, situa-se Bath, conhecida como a cidade erguida num dos locais mais nobres do país. Sua fundação aconteceu em 863 antes de Cristo, pela civilização celta.

Uma das lindas ruas de Bath
Uma das lindas ruas de Bath

Mas, ela só foi ficar famosa, mesmo, já na era cristã, quando os romanos lá chegaram e descobriram as fontes termais na cidade. A partir de então, piscinas públicas foram construídas, constituindo, assim, concorridas áreas de lazer e ponto de encontro de homens de negócios. Por causa dos banhos romanos, a cidade ficou conhecida como Bath – banho, em inglês. 

                                                                              Os mais famosos banhos em Bath

Bath: O início

Quando a população da cidade era de 1200 habitantes, havia mais de 150 estabelecimentos de banhos. Suas águas termais, a 46 graus centígrados, eram consideradas uma dádiva da deusa Sulis e essa lenda foi o bastante para que a cidade se tornasse um importante local de férias, para onde convergiam famílias inteiras para aproveitar os seus banhos, tanto para lazer quanto para a cura de doenças. Quando a Rainha Vitória descobriu a cidade, Bath passou a ser um destino in, na Inglaterra, um lugar da moda, para onde iam Charles Dickens, Lord Nelson, Jane Austen, David Livingstone e outros famosos.

Uma das lindas ruas da cidade de Bath
Uma das lindas ruas da cidade de Bath

A beleza de Bath

É verdade que Bath já não tem mais o apelo de antigamente, mas continua sendo uma das cidades mais bonitas do país. Pequena e tranquila, com população em torno de 80 mil habitantes, Bath é tombada pelo patrimônio histórico. A arquitetura vitoriana chama a atenção de quem a visita, além dos muitos monumentos históricos e museus. Suas ruas são arborizadas, boa parte dos seus prédios é coberta por hera e a forma da suas ruas é um verdadeiro convite para caminhar por elas.

                                                                               Royal Crescent e Bath Circus

Banhos e igrejas

Ao lado dos banhos romanos, fica a a Abbey Church. Ela foi erguida no local onde havia uma outra igreja normanda e foi restaurada em 1574, por uma das filhas de Henrique VIII. A Catedral também é conhecida como “Lanterna do Oeste”, por causa dos seus inúmeros vitrais. No seu subsolo, uma exposição permanente conta a história do Cristianismo na região, desde os saxões até a idade média.

Museus

Mesmo sendo uma cidade pequena, são muitos os museus espalhados por Bath. Um deles é o Museum of Costume. Sua coleção de roupas desde o século XVI até os nossos dias mostra como a moda evoluiu durante esse tempo e como as pessoas a acompanhavam.

Museum of Costume

Arquitetura

Sem dúvida alguma, a construção que mais chama a atenção é o Royal Crescent, inicialmente concebido para ser uma área de esportes, por John Wood II, filho do arquiteto responsável pelo Bath Circus, outra edificação importante na cidade.

Detalhes arquitetônicos das construções em Bath
Detalhes arquitetônicos das construções em Bath

Em frente ao Royal Crescent, que se transformou num conjunto de 30 residências formando um semicírculo, tem uma área verde fantástica, para a prática de esportes, mas não é utilizada para este fim. O projeto é considerado como um dos melhores e mais sofisticados exemplos da arquitetura urbana do século 18.

Bath, a cidade reconhecida pelas suas áreas verdes
Bath, a cidade reconhecida pelas suas áreas verdes

Celebridades

Um dos primeiros a alugar uma das residências, em 1769, foi o Duque de York, filho de George III, mas foram muitos os moradores ilustres que passaram por ali. Em 1968, o Royal Crescent foi restaurado, mas para que ele se conservasse como foi concebido, só materiais da época em que foi construído foram utilizados, assim como a mobília georgiana, toda do século 18. A casa número 1 é o museu, aberto à visitação.

Royal Crescent

O Bath Circus é outra construção de residências em forma de círculo. A construção tem elementos dóricos e jônicos na sua fachada, ligada ao Royal Crescent apenas por uma rua. Com um diâmetro de 100 metros, o projeto é impressionante, quando visto de cima. Infelizmente, John Wood não chegou a viver o suficiente para ver a sua obra, inspirada nas estruturas romanas, pronta. Muita gente importante fixou residência ali: artistas plásticos, ministros, escritores e nobres em geral. No meio das casas, uma praça arborizada completa a beleza daquele espaço. Parece que a cidade parou no tempo, não fossem os carros modernos e as pessoas passando.

Bath Circus

A ponte mais importante da cidade é a Pulteney Bridge, de 1771, que foi inspirada na Ponte Vecchio, de Veneza. É a única ponte da Inglaterra que tem lojas nos dois lados, além de 3 arcos e uma janela veneziana.

Bath_ponte Vecchio
A ponte Vecchio, em Florença, Itália, foi inspiração

Compras

Diversas lojinhas vendem artigos típicos, como os casacos e pulôveres de . Bath é a terra da lã e seus produtos são famosos no mundo inteiro. Próximo à ponte, existe várias embarcações que podem ser utilizadas para um passeio pelo Rio Avon, que corta Bath. Com 50 minutos de passeio, dá para vislumbrar várias construções às margens do rio e conhecer boa parte da cidade.

ponte

O jardins de Bath

Além dos prédios vitorianos e elizabetanos, banhos e castelos, Bath também é famosa pelos seus jardins. O Royal Victoria Park, de 1830, é um deles. Seu nome homenageia a rainha que promoveu mudanças fundamentais para o desenvolvimento do Reino Unido, durante o seu período – um dos mais longos da história.

Além dos banhos romanos, igrejas, museus, parque, jardins, castelos e uma vida cultural ativa. Uma universidade reúne cerca de 10 mil alunos. Mil e quinhentos são estrangeiros. Embora pequena, a universidade de Bath tem sido citada como uma das melhores do Reino Unido. Nos últimos anos, foi apontada como a quinta melhor universidade, no Guia de Boas Universidades do jornal Times.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *